O ROMANCE REAL EM AÇÃO

O ROMANCE REAL EM AÇÃO

A. Como começar um romance real?

Alguns aspectos são importantes para um começo no Romance Real. Antigamente se estabelecia uma idade para que os jovens pudessem iniciar o namoro. Hoje, com o decorrer dos tempos e a mudança na cultura, não se faz mais tal coisa. Porém, ainda assim existem pais que estabelecem uma determinada idade para que seus filhos venham a poder namorar. Mas, do que adianta ter idade e não ter maturidade, não ter perspectivas, não saber exatamente o que você quer da vida?

Vejamos alguns requisitos importantes para se começar um Romance Real:

1. Salvação. Ambos os jovens ou adultos devem ser verdadeiramente salvos, ou seja, ambos já devem ter aceitado a Jesus Cristo como seu único Senhor e Salvador pessoal (João 3.16; Lucas 19.10; Romanos 10.9-10).

2. Maturidade física e espiritual. Não devem ser crianças, pois maturidade é importante e essencial no relacionamento entre duas pessoas (Efésios 4.13; I Coríntios 14.20).

3. Comunhão com Deus. Primeiramente Deus deve estar sendo uma fonte de luz em sua vida, uma fonte de vigor espiritual. Se não tiver comunhão com Deus, nunca será abençoado em qualquer tipo de relacionamento (I João 1.6-7).

4. Estudos. Já terminou os estudos? Ainda deseja estudar mais? É muito mais difícil formalmente depois de casado. Você tem alvos de se formar ou fazer algum curso especial? Faça antes ou discuta o assunto com a pessoa com quem você vai se casar. Alguns cursos são caros, levam muito tempo, e se você vai estudar depois de casado, é bom entender desde cedo como isso será administrado, tanto em termos de tempo como de finanças.

5. Situação financeira. Tem um emprego fixo? Dá pra sustentar uma família? Já tem onde morar (sem ser na casa dos pais ou dos sogros)? Já tem as coisas necessárias para viver – fogão, cama, mesa, geladeira, sofás, etc.?

6. Jovem espiritual. É bom saber algumas coisas sobre os hábitos espirituais da pessoa, como por exemplo:

• Estuda a Bíblia todos os dias?

• Gosta de falar com Deus? Sabe ouvir a voz de Deus?

• Tem costume de pedir e esperar a orientação de Deus para fazer decisões, não só em coisas grandes, mas as pequenas também?

• Sabe discernir entre a voz de Deus e do inimigo das nossas almas?

• Faz o possível para ir às vigílias? Participa das reuniões de oração?

• É fiel em todas as reuniões da igreja ou facilmente arruma uma desculpa para não ir?

• Qual a conversa dele quando está com pessoas descrentes? Está falando sobre Jesus (Mateus 12.34)?

• Como se comporta em casa com sua família? Está demonstrando todo o fruto do Espírito Santo?

• É esforçado no trabalho material e espiritual? É esforçado nos estudos e na igreja (Lucas 16.10)?

• Está dando um bom testemunho, não só na igreja, mas também no emprego e escola? O que seu patrão e professor dizem sobre que tipo de pessoa é?

• É batizado nas águas e também no Espírito Santo? Está andando todos os dias cheio do Espírito Santo?

• Está pondo os princípios Bíblicos em prática?

• Usa roupa modesta? É moderado no vestir e agir?

• Glorifica a Deus no seu jeito de agir com outros?

• Como reage quando está jogando bola?

• Sabe controlar dinheiro? Tem dívidas? É Íntegro?

7. O rapaz inicia. Em nosso tempo moderno é “comum” uma moça querer iniciar um namoro. Mas isso fere o princípio bíblico. Mesmo num Romance Real, o rapaz é o líder, é ele quem deve iniciar, é ele quem deve pedir à moça para orar e procurar saber a vontade Deus.

8. Permissão dos pais. Ambos os pais dos pretendentes devem estar de acordo com o Romance Real. Isso demonstra confiança e honra dos filhos para com seus pais. A Bíblia diz que os filhos devem obedecer e honrar os seus pais, mesmo que não sejam salvos. Um relacionamento que os pais não apóiam, geralmente resulta em muitas dificuldades. Isso não significa que os pais são a autoridade final no relacionamento, significa que estão querendo a bênção paterna para o relacionamento.

9. Apoio dos seus líderes espirituais. Abra o jogo com seus líderes antes de abrir o jogo com a moça. Seus discipuladores, seu pastor. Os seus líderes vão poder lhe dar muita ajuda e orientação. Seja bem honesto e transparente com eles. Isso é importante e muitas vezes negligenciado pelos cristãos. O pastor de ambos deve apoiar e dar sua bênção. Pode ser que o discipulador e o pastor vejam coisas que eles não estão vendo e por isso é importante receber o apoio, o conselho deste servo de Deus.

10. Comunicação e visitas. Deve-se procurar estabelecer um determinado ritmo nas visitas do rapaz à casa da moça: é claro que não todos os dias. Estabelecer uma boa comunicação entre ambos.

11. Confiança dos pais. No decorrer do namoro, devem procurar ganhar e manter a confiança dos pais. Verificar como é a relação entre a pessoa e seus pais. Procurar ser sensível para qualquer mudança.

12. Paz completa no seu espírito. Você precisa sinceramente sentir aquela paz que somente Deus pode lhe dar no seu espírito (Colossenses 3.15). Enquanto você sentir dúvidas, espere mais no Senhor. Não se apresse por qualquer medo (de perdê-la, ou idade, finanças, etc.). Sempre espere que Deus lhe dê aquela paz completa (João 14.27). Também, quando é de Deus e o tempo está certo, as coisas vão se encaixar. Se todos os preparos estão em ordem, mas nada está dando certo, talvez seja Deus dizendo que deve esperar mais um pouco. No tempo certo, com a pessoa certa, as bênçãos de Deus serão óbvias e tudo vai dar certo!

B. A continuação do romance real

1. O interesse deve estar voltado para a personalidade da pessoa, a parte imaterial. É importante que isso esteja bem claro na mente dos romanceados.

2. O interesse deve ser estabelecido na parte espiritual da pessoa, não em seu corpo físico, não no dinheiro que o outro tem, não no carro, na casa, na popularidade, na beleza, etc. A parte espiritual é a mais importante sobre todas. Mais uma vez: quanto mais próximos estiverem de Deus, mais próximos estarão um do outro. O contrário também é verdadeiro: quanto mais longe estiverem de Deus, mais longe ficarão um do outro.

3. Reconheça que cada cristão é chamado de propriedade particular, pessoal, peculiar de Deus (I Pedro 2.9). O namorado que não respeita tal fato está desrespeitando os princípios de Deus e o próprio Deus, bem como a pessoa, a família dela, a Palavra de Deus e o futuro casamento.

4. Evitar contato físico. Todo jovem gostaria de receber um carinho, beijos e abraços da pessoa com quem está envolvido. Porém, deve-se esperar. Procure a todo custo evitar continuar contatos físicos, como beijos, tocar o corpo, etc. Isso pode provocar desejos sexuais que não podem ser satisfeitos devidamente antes do casamento (I Tessalonicenses 4.3-8; I Coríntios 7).

Por causa de todos esses princípios bíblicos cremos que a parte física durante a amizade especial não deve ir além do que talvez segurar as mãos, ou inexistir totalmente, nem mesmo pegar nas mãos. Depois de confirmarem a vontade de Deus e ficarem noivos, também devem ter pouco envolvimento físico, pelas mesmas razões já dadas. Normalmente, tanto a amizade especial como o noivado devem ser períodos relativamente curtos se estiverem seguindo todos os princípios bíblicos que temos estudado nestas lições sobre Romance Real. Logo os dois, se Deus confirmar a Sua vontade, se casarão e, então, poderão gozar de todas as alegrias físicas para o resto de sua vida conjugal.

5. Existem condições onde a freqüência de visitas deve ser limitada. Isso exige paciência por parte de ambos. Algumas vezes a saúde, doença, serviço militar, estudos, trabalhos, deveres pessoais impedem que estejam juntos. Sejam pacientes nessas horas.

6. Cautela com o modo de se vestir, cautela em sua conversa, cautela em seu comportamento e mesmo nos gestos. Lembre-se de semear um ambiente agradável em que vale a pena estar juntos.

7. Evitar ficar sozinhos em ambientes fechados e por muito tempo. Procure estar em atividades com outros jovens, ou seja, procure envolver seus amigos em suas atividades.

C. Os perigos da troca de carícias

1. Mata a espiritualidade de ambos os jovens envolvidos no Romance.

2. Pode fazer com que fiquem cegos para os valores verdadeiros, as virtudes de cada um.

3. Pode fazer com que abaixem os padrões da moralidade.

4. Pode conduzir para a realização do ato sexual não permitido por Deus antes do casamento.

5. Pode conduzir para a depravação, destituição da dignidade.

6. Pode conduzir para o desenvolvimento de um desejo de satisfação não natural.

7. Pode causar frustração, nervosismo e ansiedade.

8. Pode conduzir para um casamento errado, com a pessoa errada.

9. Pode conduzir para contrair doenças.

10. Pode conduzir ao desrespeito mútuo.

D. Uma estória de amor

Paulinho e Terezinha

Em certa igreja evangélica havia um rapaz chamado Paulinho e uma moça chamada Terezinha. Paulinho tinha nascido de novo há uns quatro anos e a Terezinha há uns três. Os dois faziam parte de células homogêneas e uma juventude animada da igreja, e os dois se davam bem com todo mundo. Era uma mocidade alegre em que os jovens, juntamente com toda a igreja, tinham muito amor uns para com os outros — era realmente a FAMÍLIA de Deus.

Nessa época o Paulinho tinha 22 anos e Terezinha, 20 anos. Era o segundo ano em que Paulinho estava empregado numa fábrica. Ele começou a orar, pedindo a Deus que revelasse com quem deveria casar-se. Depois de bastante tempo, toda vez que orava, parecia que Terezinha vinha no pensamento dele. Ele começou a observar a Terezinha. Ele já a conhecia há vários anos e sabia que ela era uma moça muito espiritual, mas queria ver se ela realmente daria certo com ele. Ele também começou a pedir conselhos do seu discipulador e de um dos pastores da igreja com muita experiência. Depois ele pediu o conselho dos seus pais. Tudo estava indicando que era da vontade de Deus que ele se casasse com ela.

Um dia, ele estava orando sobre isso e pensou o seguinte: “Eu creio que Deus quer que eu me case com a Terezinha. Tem base Bíblica; nós dois somos crentes espirituais e estamos preparados para casar — Os meus pais e outros líderes espirituais estão todos de pleno acordo (Efésios 6.1-3, Hebreus 13.17, Provérbios 11.14). Temos idade, estudos e situação financeira suficiente. Eu, sinceramente, sinto uma paz completa no meu espírito quando penso em casar-me com ela (Colossenses 3.15). Glória a Jesus! Agora vou orar para que Deus mostre como devo explicar tudo isso a ela”.

Até agora Paulinho não tinha falado nada com Terezinha, mas continuava tratando-a com amor fraternal igual a todas as jovens. Finalmente chegou o grande dia! Paulinho conversou com a Terezinha em particular e explicou-lhe tudo que ele estava pensando e sentindo. Ele ficou maravilhado quando escutou a Terezinha dizer que já por algum tempo ela gostava dele também. O seu respeito pela Terezinha aumentou quando ela explicou-lhe que gostaria de tomar algum tempo para orar e procurar a vontade de Deus antes de começar a “amizade especial”. Ele concordou e falou para a Terezinha que ela não precisava apressar-se, mas que devia tomar o tempo que fosse necessário.

Terezinha, então, levou tempo orando e jejuando e também procurando conselhos dos pais e dos líderes espirituais. Depois de algumas semanas ela disse a Paulinho que também cria que era da vontade de Deus que se casassem. Eles então começaram uma amizade especial para confirmar a vontade de Deus. Logo depois eles noivaram e se casaram. Hoje vivem MUITO felizes com JESUS!

E. Mais alguns conselhos práticos

• Nunca se case com alguém que não seja cristão (2 Coríntios 6.14-18; Amós 3.3).

• Ore para saber a escolha de Deus (Salmo 37.5; Provérbios 3.6).

• Evite casar sob pressão (Romanos 12.1-2). Não case pensando que sua vida se endireitará depois do casamento. Não case com alguém pelo qual não tenha respeito.

• Não case cedo demais ou de repente (Tiago 1.4-5). Procure ver sua relação com Deus, os hábitos da pessoa, os pais, o modo de vida.

• Não case tendo uma perspectiva errada do sexo (Gálatas 5.16-25). Alguns casam para desfrutar do sexo, mas casamento não é apenas sexo; muito mais está envolvido.

• Casamento é para sempre, ou seja, “até que a morte os separe” (Gênesis 2.24; Romanos 7.1-3; Mateus 19.6).

Conclusão

Concluindo esse assunto, por enquanto, é bom dizer que muitos jovens cristãos estão sofrendo com a solidão e o medo de ficarem sozinhos. E uma barra, porém, o Pai sabe que você sofre e com amor quer tratar isto na sua vida. A sua necessidade de um relacionamento precisa ser suprida primeiramente com Jesus. O Pai providenciou um meio da união do Filho com você através da sua morte na cruz para que você tivesse vida n’Ele.

Nós nascemos separados de Deus, solitários no mundo e capazes de somente seguir a onda das coisas mundanas e ao Pai agradou nos levar à inclusão no corpo de Cristo para nos fazer um com Ele na sua morte e depois ressurreição, como diz Romanos 6:4: “De sorte que fomos sepultados com Ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo ressuscitou dos mortos pela glória do Pai, assim andemos em vida nova’

O primeiro relacionamento que você precisa é com o nosso amado Jesus, com Ele sendo sua vida nova. Você não precisa andar às cegas, pois Ele vai dirigir sua vida a um relacionamento legal.

Saiba que com Jesus não há furo, Ele sabe o melhor para você. Espere na graça do Senhor. E seja feliz !