A Reforma Protestante

A Reforma Protestante foi um vigoroso movimento de revitalização da igreja cristã ocorrido na Europa setentrional durante o século 16 e início do século 17. Seus grandes personagens foram Martinho Lutero (Alemanha), Martin Butzer (Alemanha), João Calvino (Suíça), Menno Simons (Holanda), Thomas Cranmer (Inglaterra) e outros. A Reforma deu origem às denominações históricas do protestantismo, a começar das confissões luterana, reformada, anglicana e anabatista. Seu legado foi não somente doutrinário, mas político, social e cultural.

Fonte: https://cpaj.mackenzie.br/historia-da-igreja/reforma-protestante/

Qual é o fim principal do homem?

Resultado de imagem para fortalecendo a fé

A Confissão de Fé de Westminster é a principal declaração doutrinária adotada oficialmente pela Igreja Presbiteriana do Brasil. Ela foi um dos documentos aprovados pela Assembléia de Westminster (1643-1649), convocada pelo Parlamento inglês para elaborar novos padrões doutrinários, litúrgicos e administrativos para a Igreja da Inglaterra. Para se entender as circunstâncias da formulação desse importante documento, é preciso relembrar a história da Reforma Inglesa.

PERGUNTA 1. Qual é o fim principal do homem?

RESPOSTA. O fim principal do homem é glorificar a Deus, e gozá-lo para sempre.
Referências Bíblicas:
Rm 11.36: Porque dele, e por meio dele, e para ele são todas as coisas. A ele, pois, a glória eternamente. Amém.
1Co 10.31: Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus.
Sl 73.24-26: Tu me guias com o teu conselho e depois me recebes na glória. Quem mais tenho eu no céu? Não há outro em quem eu me compraza na terra. Ainda que a minha carne e o meu coração desfaleçam, Deus é a for-taleza do meu coração e a minha herança para sempre.
Is 43.7: A todos os que são chamados pelo meu nome, e os que criei para minha glória, e que formei, e fiz.
Rm 14.7,8: Porque nenhum de nós vive para si mesmo, nem morre para si. Porque, se vivemos, para o Senhor vivemos; se morremos, para o Senhor morremos. Quer, pois, vivamos ou morramos, somos do Senhor.
Ef 1.5,6: … nos predestinou para ele, para a adoção de filhos, por meio de Jesus Cristo, segundo o beneplácito de sua vontade,  para louvor da glória de sua graça, que ele nos concedeu gratuitamente no Amado…
Jo 17.22: Eu lhes tenho transmitido a glória que me tens dado, para que sejam um, como nós o somos.
Jo 17.24: Pai, a minha vontade é que onde eu estou, es-tejam também comigo os que me deste, para que ve-jam a minha glória que me conferiste, porque me amas-te antes da fundação do mundo.
Is 61.3: E a pôr sobre os que em Sião estão de luto uma coroa em vez de cinzas, óleo de alegria, em vez de pran-to, veste de louvor, em vez de espírito angustiado; a fim de que se chamem carvalhos de justiça, plantados pelo Senhor para a sua glória.

FORTALECENDO A FÉ

Resultado de imagem para fortalecendo a fé

A fé não pode estar distante da prática:

(Tg 1.22) “Sejam praticantes da palavra, e não apenas ouvintes, enganando-se a si mesmos”

Um dos pontos de maior conflito para os que abraçaram a fé cristã é conciliar – fé eproblemas.

Nem sempre estas duas realidades são entendidas como deveriam ser.

Daí surgem muitos questionamentos, dificuldades e não são poucos aqueles que encontram-se desanimados,

· pois não entendem a razão das provações

· e o que elas tem a ver com a fé cristã.

É possível transformar os problemas em fortalecimento da fé?

Ninguém gosta de passar por problemas.

Apesar disso, não estamos isentos das mesmas.

Em algum período da vida estaremos frente a frente com algum tipo de adversidade.

· E o que fazer?

Há algumas possíveis reações nesse momento:

(a) Desespero – alguns simplesmente ficam desesperados com os problemas,

· sem saber o que fazer, como fazer e a quem procurar;

(b) Paralisia – outros ficam imóveis, paralisados.

· Sem reação, apenas um “engessamento”;

(c) Motivação – um pequeno número decide lutar, enfrentar e não se render aos problemas.

· Apresentam uma força extraordinária;

Mas, nós cristãos precisamos de princípios e ensinamentos para transformar esses momentos em fortalecimento da fé.

A Bíblia nos ensina a viver a vida cristã fortalecidos mesmo em meio de crises:

Texto Bíblico: Tiago 1.1-4

1 Eu, Tiago, servo de Deus e do Senhor Jesus Cristo, envio saudações a todo o povo de Deus espalhado pelo mundo inteiro. 2 Meus irmãos, sintam-se felizes quando passarem por todo tipo de aflições. 3 Pois vocês sabem que, quando a sua fé vence essas provações, ela produz perseverança.4 Que essa perseverança seja perfeita a fim de que vocês sejam maduros e corretos, não falhando em nada!

Tiago é essencialmente prático em relação a vida de fé.

Na sua época, um dos grandes problemas que a igreja enfrentava era o colocar em prática aquilo que estavam professando.

O que isto significa?

· Pessoas diziam crer em Jesus,

  • mas não viviam segundo os princípios cristãos.

· Tinham uma fé teórica, apenas de boca,

  • palavras, sem prática, sem vida.

Havia uma crise de identidade que ainda perdura em alguns.

· Há pessoas que se declaram cristãs,

  • mas, suas ações dizem o contrário.

· Têm um belo discurso,

  • Mas, sem a prática para sustentar o mesmo…

Tiago escrever para alertar do risco em viver uma fé morta.

A fé cristã precisa ser praticada, exercitada, senão, será apenas um teorizar de palavras.

A vida cristã não é uma redoma de vidro, uma estufa espiritual, uma colônia de férias.

· A vida de fé também é um campo de batalha.

Não somos poupados dos problemas,

· mas somos poupados nos problemas.

Não recebemos vacina anti-tribulação,

· mas, temos a presença do Espírito de Deus que nos fortalece e consola

  • diante das tribulações e nelas.

Tiago mostra como transformar as dificuldades em fortalecimento na fé.

Vejamos alguns conselhos de Tiago:

1- As dificuldades são compatíveis com a fé cristã

Não existe contradição entre a fé cristã e os problemas da vida.

Jesus mesmo alertou seus discípulos quanto a isso:

“Eu lhes disse essas coisas para que em mim vocês tenham paz. Neste mundo vocês terão aflições; contudo, tenham ânimo! Eu venci o mundo” (Jo. 16.33).

É ingenuidade entender a fé cristã e as aflições como algo contraditórias.

Tiago diz 1.2: “…Meus irmãos, sintam-se felizes quando passarem por todo tipo de aflições.…”.

Deus jamais deixou de mostrar que seus filhos no passado passaram por problemas

Alguns deles, inclusive foram mortos. Estevão foi o apedrejamento Atos 7.59.

· Deus não é mentiroso.

· Ele não prometeu um “mar de rosas”.

Antes, deixou claro que é possível que na caminhada cristã, encontremos pedras no caminho.

Desta forma, as provações que enfrentamos, aqui e agora,

· visam a nossa maturidade espiritual.

Através dos momentos de conflitos

· também somos moldados, lapidados.

Lembremos: Deus é o oleiro e nós o vaso:

“Como barro nas mãos do oleiro, assim são vocês nas minhas mãos, ó comunidade de Israel” (Jr 18.6).

Quando compreendemos isso, começa um processo de maturidade,

· que contribuirá para que a vida cristã deixe de ser apenas de palavras.

Quando compreendemos isso,

· a prática e os verdadeiros exercícios espirituais ocorrem…

Porque: As dificuldades são compatíveis com a fé cristã…

2- As dificuldades são variadas

Outra declaração que Tiago esclarece é que as provações são diversas

“…quando passarem por todo tipo de aflições.”… (Tg 1.2).

A palavra, todo tipo, traz a ideia demulticolorido; cores variadas.

Ou seja,

· as provações são policromáticas(cheio de cores)

· e não apenas monocromáticas (preto e branco).

Existem assim, problemas “rosa claro”; provações “verde-escuro”, também aflições “cinza”.

· Qual tem sido a cor das nossas provações?

As vezes, somos sacudidos e surpreendidos por diversas e intensas aflições.

E, começamos a transformar as provações em desafio de fé

· quando nos apercebemos da variedade dos problemas que batem a nossa porta.

Assim aprendemos

“… que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito” (Rm 8.28).

Também, para cada “cor” de provações e aflições

· existe a graça suficiente de Deus para nos sustentar.

Portanto, para cada dificuldade,

· também haverá da parte de Deus, um auxílio presente.

Porque? As dificuldades são variadas…

3- As dificuldades também são pedagógicas

A última declaração de Tiago tem haver com aquilo que podemos aprender à medida que enfrentamos as provações.

· Sua conclusão é:

“…Pois vocês sabem que, quando a sua fé vence essas provações, ela produz perseverança. Que essa perseverança seja perfeita a fim de que vocês sejam maduros e corretos, não falhando em nada!” (Tg 1.3-4).

Nas provações da nossa fé

· Deus sempre nos prova

  • para produzir o melhor em nós.

Lúcifer nos tenta para fazer o pior em nós.

As provações de nossa fé trabalham por nós, e não contra nós.

· Elas produzem perseverança.

Será que temos entendido isso

· como meio pelo qual Deus está nos transformando a Sua semelhança?

As provações e dificuldades podem tornar-se períodos de aprendizados,

· à medida que as compreendemos como sendo pedagógicas as nossas vidas.

Ao invés de reclamar ou duvidar,

· deveríamos nos perguntar:

ü “que lição Deus está me ensinando”

Na vida cristã nada acontece de forma insignificante,

· antes para todas as coisas existem propósitos e ensinamentos da parte de Deus.

É assim que Tiago fala que as provações têm um propósito pedagógico. Elas são passageiras:

“… quando passarem por diversas provações…”(Tg 1.2).

As provações não duram a vida inteira.

· Depois da noite, vem o amanhã.

· Depois do choro, vem a alegria.

· Depois da tempestade vem a bonança.

Fé que sabe esperar no Senhor e vive a prática

· Renovam suas forças

· Crescem em vigor

· Não param e não se cansam

  • Alcançam o que vem do alto