O FIM SUPREMO DO SER HUMANO

Resultado de imagem para o fim supremo do ser humano

Porque dele, e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém. (Rm 11:36) – Vontade soberana de Deus – (“dele”); Ação soberana[1] de Deus – (“por meio dele”); Sua Glória[2] soberana – (“para ele”)

Portanto, quer comais quer bebais, ou façais, qualquer outra coisa, fazei tudo para glória de Deus. (1Co 10:31)

Tu me guias com o teu conselho, e depois me receberás em glória. (24)

A quem tenho eu no céu senão a ti? e na terra não há quem eu deseje além de ti. (25)

A minha carne e o meu coração desfalecem; do meu coração, porém, Deus é a fortaleza, e o meu quinhão para sempre. (Sl 73:24 – 26)

E eu lhes dei a glória[3] que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um; (22)

eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade, a fim de que o mundo conheça que tu me enviaste, e que os amaste a eles, assim como me amaste a mim. (23)

Pai, desejo que onde eu estou, estejam comigo também aqueles que me tens dado, para verem a minha glória, a qual me deste; pois que me amaste antes da fundação do mundo.

(Jo 17:22 – 24)

Introdução

Todas as coisas foram criadas para um propósito, um motivo específico. O Amor transbordante de Deus manifestou-se a nós para que fossemos salvos da ira e condenação eterna. A Bíblia fala de uma finalidade suprema do ser humano: Glorificar a Deus, Alegra-se n’Ele sempre e conhecer Sua Palavra.

  1. GLORIFICAR A DEUS
  2. Martyn Lloyd – Jones, pastor por quase 30 anos da capela de Westminster em Londres ensinava que o ponto central da “Igreja”, da pregação, etc., é Glorificar a Deus.
  3. Jonathan Edwards[4] escreveu: Deus, ao buscar Sua glória, busca também o bem de suas criaturas porque a emanação[5] de Sua glória… pressupõe a felicidade de Suas criaturas. E, em comunicar-lhes Sua inteireza Ele o faz para si mesmo, porque o bem de suas criaturas, o qual Ele busca, está na sua estreita união e comunhão com Deus. Deus é o bem de suas criaturas. A excelência e a felicidade de suas criaturas não são nada mais que a emanação e a expressão da glória de Deus. Deus, ao buscar a glória e a felicidade de suas criaturas, busca a Si mesmo, e, ao buscar a si mesmo, isto é, a si mesmo irradia-se … Ele busca a glória e a felicidade de suas criaturas.
  • ALEGRAR-SE EM DEUS

Todo o Salmo 37 mostra a perplexidade de Davi com toda forma de impiedade; trata da adversidade dos justos face a prosperidade dos ímpios. Ensina-nos a como viver no meio dos que odeiam o povo de Deus, e como devemos confiar nossos caminhos a ele.

O verso que abre este texto, e fonte de nossa consideração, fala sobre agradar-se no Senhor, ou seja, ter agrado em; ter prazer em; ter contentamento ou satisfação em;

  1. Este verso fala sobre o resultado de nos agradarmos no Senhor. Fala-nos sobre a verdadeira e pura alegria! A alegria (lat. alacre) é um sentimento nobre. Diz-se da alegria ser um sentimento ou senso de contentamento; de júbilo e exultação; de felicidade íntima ou interior. Este versículo é também uma promessa: Agradarmo-nos do Senhor há de satisfazer os desejos de nosso coração.

A questão é: O que é agradar-se do Senhor? Como nos agradarmos do Senhor?

  • Este é um privilégio somente daqueles que o conhecem. Não podemos nos agradar – ou nos alegrar – com o que ou quem não conhecemos. Conhecer ao Senhor faz-nos desejar parecer mais com ele. Passamos a querer ter comunhão com o Senhor, e nos alegramos em sua presença.

Agradar-se do Senhor, pressupõe, portanto, um conhecimento íntimo dele e de sua obra. Este fato por si só há de gerar deleite em nossas almas. Ao abrirmos a Escritura, ou ouvirmos a sua mensagem, e, iluminados pelo Espírito Santo, passarmos a conhecer a gloriosa verdade acerca de Deus, de Seu ser, seus atributos, sua vontade, suas obras, haveremos de ter deleite sem igual!

  • CONHECER A SUA PALAVRA

Somente a sua Palavra e o seu Espírito revelam a Deus de um modo suficiente e eficazmente aos homens para a sua salvação.

  1.  O que é a Palavra de Deus?

As Escrituras Sagradas, o Antigo e o Novo Testamento, são a Palavra de Deus, a única regra de fé e prática.

Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. (Gl 1:8)

  • Como se demonstra que as Escrituras são a Palavra de Deus?

Pela majestade e pureza do seu conteúdo, pela harmonia de todas as suas partes, e pelo propósito do seu conjunto, que é dar toda a glória a Deus; pela sua luz e pelo poder que possuem para convencer e converter os pecadores e para edificar e confortar os crentes para a salvação. O Espírito de Deus, porém, dando testemunho, pelas Escrituras e juntamente com elas no coração do homem, é o único capaz de completamente persuadi-lo de que elas são realmente a Palavra de Deus.

“Todavia, falamos sabedoria entre os perfeitos; não, porém, a sabedoria deste mundo, nem dos príncipes deste mundo, que se aniquilam; (6) mas falamos a sabedoria de Deus, oculta em mistério, a qual Deus ordenou antes dos séculos para nossa glória; ” (1Co 2:6 e 7)

Conclusão

Que, Deus que é espírito, em si e por si infinito em seu ser, glória, bem-aventurança e perfeição; todo-suficiente, eterno, imutável, insondável, onipresente, infinito em poder, sabedoria, santidade, justiça, misericórdia e clemência, longânimo e cheio de bondade e verdade, ilumine nosso coração nos conduzindo nesta jornada rumo a eternidade.


[1]–  [Do lat. super] Autoridade inquestionável que Deus exerce sobre todas as coisas cria­das, quer na terra, quer nos céus, dis­pondo de tudo de acordo com os seus conselhos e desígnios. A soberania divina está baseada em sua onipotência, onipresença e onisciência. Deus é absoluto e necessário – todos precisamos dele para existir; sem Ele, não há vida nem movimento.

[2] – [Do hb. kabod; do gr. doxa; do lat. glória} Manifestação do esplen­dor e da magnificência da presença di­vina.

A glória de Deus fez-se presente nos momentos mais importantes da história da salvação. Sua função básica era refe­rendar os pactos que o Senhor ia estabe­lecendo com o seu povo. Foi o que se deu, por exemplo, quando Israel rece­beu as tábuas da Lei (Êx 19).

[3]–  G01391 δοξα doxa; 1) opinião, julgamento, ponto de vista
2) opinião, estimativa, seja boa ou ruim, a respeito de alguém
2a) no NT sempre opinião positiva a respeito de alguém, que resulta em louvor, honra, e glória
3) esplendor, brilho
3a) da lua, sol, estrelas
3b) magnificência, excelência, preeminência, dignidade, graça
3c) majestade
3c1) algo que pertence a Deus

[4] – Pastor do coração e do intelecto, evidencia-se pelo equilíbrio em suas posições teológicas e práticas. Um pastor congregacional norte-americano que viveu no século dezoito, foi uma das personalidades religiosas mais destacadas da história da igreja nos últimos três séculos. Os estudiosos de sua vida e obra o tem considerado o maior filósofo e teólogo já produzido pelos Estados Unidos.

[5] – Ponto de partida; procedência, origem