Visão + Missão!

Alguns anos atrás, George Deakin ensinou-me uma verdade usando um argumento bastante lógico.

Ter visão sem missão, tornanos visionários;

Ter missão sem visão, leva-nos a trabalhar demais;

ter visão e missão faz de nós missionários.

E é mesmo. Isaías teve uma visão no ano da morte do rei Uzias . Talvez haja alguém à nossa frente, impedindo que tenhamos uma visão ampla de Deus. O preço a ser pago pelo crescimento espiritual é bastante elevado, e, às vezes, doloroso também. Você estaria preparado para ter uma visão a esse preço — a perda de um amigo ou de sua carreira?

E para essa transformação de alma não se oferecem descontos especiais. Se alguém deseja apenas ser salvo, santificado e só, não há lugar para ele nas fileiras do Senhor.

Isaías teve uma visão em três dimensões.

Vejamos Isaías 6, versículos 1 a 9.

Seu olhar se dirigiu para o alto: viu o Senhor; para dentro de si : viu a si mesmo; e para fora: viu o mundo. Sua visão tinha altura : viu o Senhor alto e sublime; profundidade: viu as profundezas de seu coração; e largura : viu o mundo.

Foi uma visão da santidade .

Ó amados, como nossa geração precisa ter uma visão de Deus em toda a sua santidade!

E foi uma visão da iniquidade : “Estou perdido! de lábios impuros!” E foi uma visão do desalento divino , implícito nas palavras: “Quem há de ir por nós?” E nesta hora em que vivemos, quando a média das igrejas está mais envolvida com promoções do que com orações; incentiva mais a competição, e se esquece da consagração, e substitui a propagação do evangelho pela autopromoção, é imperativo que tenhamos essa visão tríplice.

“Não havendo profecia o povo se cor rompe ”. (Pv 29.18).

E não havendo paixão pelas almas, a igreja perece, mesmo que esteja lotada dominicalmente.

— Leonard Ravenhill