O RESGATE

Lucas 10:25-37

A parábola do bom samaritano foi dada a fim de ilustrar o importantíssimo mandamento da lei: ≪Amaras ao teu próximo como a ti mesmo≫. Podem-se fazer as seguintes observações a respeito:

1. Jesus ensina aqui um importante principio da ética humanitária. O ≪próximo≫ pode ser uma pessoa inteiramente desconhecida.

2. O ≪próximo≫ pode ser de uma raça diferente, e ate mesmo desprezada.

3. O ≪próximo≫ pode ser pessoa de outra religião, ate mesmo conhecida como herética.

4. Contudo, os cuidados de Deus por toda a humanidade devem manifestar-se nas vidas de todos quantos são chamados pelo nome.

A história do bom samaritano só aconteceu porque um intérprete da lei se levantou com a atitude completamente errada para tentar colocar Jesus a prova.

O alvo desse homem era desqualificar Jesus publicamente, ou seja, colocar todos contra Jesus.

Contexto

E muito instrutivo que Jesus tenha escolhido um samaritano para a sua ilustração. Samaria, capital do reino israelita do norte, caiu ante o império assirio em 722 A.C. Embora o remanescente, que ficou na terra de Israel, tenha envidado o esforço de dar continuação a adoração ordinária, contudo, a mistura gradual com povos colonizadores enviados de varias partes do império assirio, foi alterando paulatinamente a atitude e a adoração do povo, alem de ter criado uma raca mista. As conquistas efetuadas pelos gregos, seculos mais tarde, aumentaram ainda mais essa fusão de racas. A oposição que se instaurou entre os judeus de Jerusalém e os samaritanos, parece ter tido natureza quase inteiramente politica, até o século V a.C. Ε o advento de Esdras e Neemias, com a nova enfase sobre a pureza racial, aumentou ainda mais a brecha entre essas comunidades. Os samaritanos haviam erigido um templo no monte Gerizim, e aceitavam a lei de Moisés, mas não os escritos dos profetas, como porcões integrantes das Escrituras. Assim sendo, foram-se alargando cada vez mais as diferenciações religiosas. Lemos que, durante o tempo dos Macabeus, debaixo da pressão de elementos pagãos, o templo de Samaria foi dedicado ao deus Xenios. Os Hasmoneanos (nome de família dos Macabeus) adquiriram grande autoridade e popularidade em Israel, como também a ascendência sobre a comunidade religiosa passou para as mãos dos judeus que proclamavam Jerusalém como o centro da adoração a Jeová. Jesus escolheu de proposito os desprezados samaritanos para ilustrar o correto tratamento que se deve dar ao próximo. Nem mesmo o altamente reverenciado levita (ver o vs. 32) demonstrou possuir o desenvolvimento espiritual e a graça para acudir a um semelhante seu em necessidade. Isso, juntamente com a mesma atitude exibida por um sacerdote (ver o vs. 31), deve ter sido especialmente contundente para os judeus que ouviam a Jesus.

Neste caso o nosso foco são todas as pessoas que já frequentaram as nossas células, mas, que não estão mais; elas ficaram de fora. Precisamos fazer uma força tarefa e recuperar todas elas de volta para as células. Vamos aproveitar essa história linda do bom samaritano para fazermos o mesmo.

Vamos até, se for possível, pagar um preço para trazer de volta essas pessoas para se firmarem com Jesus, pois elas são muito importantes no reino de Deus.Voltando para o nosso texto, vejamos o que pode ter acontecido com o homem assaltado.

  1. ELE FOI ROUBADO, OS SALTEADORES ROUBARAM TUDO.

Esta é uma das razões pelas quais as pessoas tem dificuldade de se firmar com Deus. O maligno vai sempre tentar roubar a semente da palavra que caiu no coração das pessoas.

Ele sempre tenta roubar a fé. Ele tenta roubar o entusiasmo das pessoas, mas nós, vamos recuperar em nome de Jesus.

2. O INIMIGO LHE CAUSOU MUITOS FERIMENTOS.

Infelizmente é muito fácil as pessoas se ferirem. Satanás é covarde e ele trabalha duro para causar ferimentos nas pessoas para que vivam adoentadas com todos os contextos da sua vida. Talvez, algumas foram feridas nas próprias células, se foi lá, vamos de imediato consertar com essas pessoas.

3. O DEIXARAM SEMIMORTO.

Muita gente morre na fé por causa de coisas banais, tão pequenas.

Efésios 2:1 – “Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos.”

Essa é a nossa missão, levar a vida de Deus as pessoas.

Passou por perto desse homem um sacerdote, mas só olhou e foi embora.

Passou também um levita, também não se importou com o homem.

V.33 – “Certo samaritano, que seguia seu caminho, passou-lhe perto e, vendo-o, COMPADECEU-SE DELE.”

Irmãos, COMPAIXÃO[1] era o que abastecia o tanque espiritual de Jesus. Nós somos seus seguidores, também precisamos exercer compaixão pelas pessoas.


COMO RESTAURAR TODAS ESSAS PESSOAS?

V.34 – Fala das ações do bom samaritano.

1- ELE PENSOU-LHES OS FERIMENTOS.

É o que os bombeiros fazem hoje, avaliam o quadro geral do paciente para saber que providência tomar. Cada pessoa deve ser avaliada, quem leva jeito para trabalhar com esse tipo de situação?

2- APLICANDO-LHE ÓLEO.

Porque passavam óleo; porque era o costume desse tempo.

Isaías 1:6 – “Desde a planta do pé até a cabeça, não há nele coisa sã, senão feridas, contusões e chagas inflamadas, umas e outras não espremidas, nem atadas, nem umedecidas com óleo.”

O óleo aplicado no doente simboliza restauração da pessoa.

APLICAVA-SE O VINHO PORQUE O VINHO SIMBOLIZADA TRAZER DE VOLTA A ALEGRIA.

3- COLOCANDO-O SOBRE O SEU PRÓPRIO ANIMAL.

Hoje nós temos três tipos de animais para serem usados no reino.

  • Carrão importado.
  • Carro nacional
  • Motos

4- LEVOU PARA A HOSPEDARIA

A hospedaria é a igreja, porque lá tem COMIDA da palavra de Deus. Lá tem aconchego das pessoas, lá tem cura e apoio espiritual.

A hospedaria também são as células. As células tratam das pessoas.

5- FOI FEITO UM INVESTIMENTO NAS PESSOAS.

V.35 – “O samaritano disse. O que precisar pode servir a ele, quando eu voltar te indenizarei.”


CONCLUSÃO

VAMOS NOS EMPENHAR E RESTAURAR ESTAS PESSOAS.

O conceito do bom Samaritano não deveria ser jamais esquecido pelo mundo em geral, porquanto se trata de uma das mais nobres parábolas dos evangelhos. Aquele a quem posso ajudar a qualquer momento, um ser humano como eu, e meu próximo, sem se importar com as diferenças raciais, religiosas ou sociais.


[1] Simpatia para com a tragédia pessoal de outrem, participação espiritual na infelicidade alheia que suscita um impulso altruísta de ternura para com o sofredor