Motivando um líder desanimado

1 Samuel 30:1-6 e 2 Coríntios 5:7

O que leva um “líder”, seja de célula, de ministério ou departamental desaminar são as pressões do dia-a-dia ou aquilo que ele (a) está fazendo não está dando resultado imediato. Aliás, 90% das causas geradoras do desânimo é o imediatismo, fruto de uma ansiedade aguda.

Se o líder está desanimado, há uma grande probabilidade de ter contaminado todo o seu grupo, precisamos estar atentos e trabalharmos no restabelecimento da visão.

Para isso acontecer é preciso colocar em praticar algumas atitudes:

1- Usar sempre palavras de fé

Sem fé é impossível agradar a Deus (Hb. 11:6) e principalmente realizar uma tarefa (1Co. 15:58) dada por Ele na edificação do seu Reino.

  • A fé vê além do que os olhos podem ver.
  • Proferir palavras de fé é crer no sobrenatural de Deus.
  • Pela fé, veja seu liderado tendo sucesso.

2- Sempre elogie

  • É preciso manter o hábito de sempre elogiar.
  • O elogio é como oxigênio para a alma.
  • Sempre existem coisas que se pode elogiar.
  • Elogiar em grupo é bom, mas elogiar as pessoas individualmente sempre é melhor.

3- Ter uma profunda gratidão

  • Procure oportunidade de agradecer seus liderados.
  • O líder que agradece seu liderado automaticamente ganha o coração dele.
  • Quando você tem o hábito de praticar a gratidão, você está injetando motivação na equipe.

4- Potencialize virtudes

  • Reconhecer as virtudes é importante, mas potencializa-las individualmente é muito melhor. (Js. 1:9)
  • Destacar um ponto positivo vai além de simplesmente elogiar.
  • Maximizar um ponto positivo é uma forma de manter o líder encorajado.

5- Celebre os resultados com os liderados

  • Você precisa estar atento aos resultados obtidos.
  • Após cada multiplicação ou qualquer avanço, célebre os bons resultados.
  • A comemoração é indispensável para manter o grupo animado.
  • Você precisa vibrar com cada conquista obtida.

Tudo o que desempenhamos no Reino de Deus precisa haver equilíbrio, sensibilidade e gratidão. Não podemos deixar nossa prática de liderança entrar no automático. Muitas igrejas, equipes etc., são dissolvidas por causa da frieza que este “automático” gera. Precisamos valorizar cada pessoa. No processo comercial por resultados, as pessoas são apenas números dentro da estatísticas, no processo celestial somos discípulos que se engajam na missão eterna do Reino de Deus, todas as pessoas são importantes!