A VIDA DEPOIS DA RELIGIÃO

“Ó Deus, tu és o meu Deus forte; eu te busco ansiosamente; a minha alma tem sede de ti; meu corpo te almeja, como terra árida, exausta, sem água. Assim, eu te contemplo no santuário, para ver a tua força e a tua glória” (Salmos 63.1-2).

Assim como há um suor enganoso e um calor que vem sobre um homem que está morrendo de frio por estar à beira da morte, assim também acontece no mundo do espírito. Há uma insensibilidade e uma atitude indiferente quando as pessoas estão morrendo espiritualmente.

A religião é o esforço do homem para conhecer a Deus. Ela consiste apenas de rituais e regulamentos, trabalhos e palavras sem poder. A religião traz a morte espiritual.

O poder de Deus é a demonstração visível de Seu desejo de revelar-se ao homem. O poder espiritual é o Reino de Deus em ação. Traz a vida espiritual.

Muitos têm experimentado a religião. Eles têm se unido a vários cultos e denominações. Estas organizações os têm acalmado em uma atitude espiritual indiferente. Eles não têm experimentado o poder do Evangelho que pode mudar suas vidas. Eles estão derrotados e desencorajados, enfermos e feridos. Eles estão morrendo espiritualmente. Seu lamento do coração é como aquele do Salmista Davi que escreveu…

“Ó Deus, tu és o meu Deus forte; eu te busco ansiosamente; a minha alma tem sede de ti; meu corpo te almeja, como terra árida, exausta, sem água. Assim, eu te contemplo no santuário, para ver a tua força e a tua glória” (Salmos 63.1-2).

Estas pessoas necessitam experimentar a vida depois da religião.

TIPOS DE PODER

Há muitos tipos de poder no mundo hoje:

O poder político é celebrado por aqueles no comando de organizações, tribos, povos, cidades, estados, províncias e nações inteiras.

O poder intelectual resulta em novas invenções, criações literárias e musicais, e o estabelecimento de instituições educacionais.

O poder físico é possuído pelos homens fortes, muitos dos quais se tornam atletas profissionais.

O poder financeiro é celebrado pelos banqueiros e homens de negócios que lideram as corporações e os grandes impérios financeiros.

O poder militar é usado pelos grandes exércitos para defender e ganhar novos territórios.

O poder da energia serve ao homem de muitas maneiras que vão desde um simples fogo ao calor, servindo uma cidade inteira com eletricidade.

O poder religioso resulta nas grandes denominações e culturas religiosas.

Todos estes são grandes poderes trabalhando em nosso mundo hoje. Porém, o chamado de Jesus não é ao poder mundano. É ao poder espiritual. Esse é um poder que não pergunta “Como posso ser servido?”, porém, “Como eu posso servir?”

DIFERENÇA NA ESTRUTURA

Jesus explicou a diferença entre a estrutura de poder do mundo e do Reino de Deus.

Ele disse:

“Então, Jesus, chamando-os, disse: Sabeis que os governadores dos povos os dominam e que os maiorais exercem autoridade sobre eles. Não é assim entre vós; pelo contrário, quem quiser tornar-se grande entre vós, será esse o que vos sirva; e quem quiser ser o primeiro entre vós será vosso servo; tal como o Filho do Homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos” (Mateus 20.25-28).

O chamado de Jesus é para deixar o poder mundano pelo poder espiritual que é dado com o propósito de servir a um mundo que sofre e que está perdido e agonizante.

PODER ESPIRITUAL

Quando nós falamos de poder neste curso, nós não estamos falando sobre denominações religiosas ou organizações religiosas feitas pelo homem. Nós não estamos falando da autoridade delegada através de um voto pela maioria. Não é a autoridade dada por um título ou escritório. Não é poder baseado em educação ou habilidade.

Quando nós falamos de poder neste curso, nós estamos referindo-nos ao conceito bíblico de poder espiritual. O significado bíblico da palavra “poder” é energia espiritual, habilidade, força e vigor. É uma força sobrenatural que produz obras e milagres poderosos.

Uma palavra similar, “autoridade”, também se usa neste curso. Como na Bíblia, ela se relaciona estreitamente a e tem o significado similar da palavra “poder”. A autoridade se refere ao poder legal e justo para agir em nome de outro. Exercer autoridade é a ação de demonstrar o poder. É possuir o direito de exercer o poder delegado dentro de limites definidos.

FORÇAS DE PODER ESPIRITUAL

Há diversas forças sobrenaturais operando no poder espiritual. A fonte bíblica de poder espiritual é o Deus vivo e verdadeiro, que é revelado na Bíblia. Deus é uma trindade, uma pessoa composta de Deus o Pai, Deus o Filho e Jesus Cristo, e Deus o Espírito Santo. Deus o Pai é a fonte do poder:

“Todo homem esteja sujeito às autoridades superiores; porque não há autoridade que não proceda de Deus; e as autoridades que existem foram por ele instituídas” (Romanos 13.1).

Deus tem delegado o poder a Seu Filho, Jesus Cristo:

“Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra” (Mateus 28.18).

Jesus tem delegado o poder espiritual aos crentes. Este poder é experimentado através do Espírito Santo:

“Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra” (Atos 1.8).

Há outra força de poder espiritual, porém é um a força negativa. É a fonte de poder espiritual maligna e responsável pela bruxaria, feitiçaria e todas as outras práticas malignas. Essa força é Satanás, que é um poder espiritual, porém seu poder é maligno, não bom:

“Porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes” (Efésios 6.12).

Você aprenderá mais sobre isto em o “Desafiante Enganador” do poder de Deus no Capítulo Três desta apostila.

A DEMONSTRAÇÃO DE PODER

Quando Jesus começou Seu ministério público, era um ministério de milagres. Seu ministério não teve êxito devido a sua grande organização. Ele começou com doze discípulos e acabou com onze. Não teve êxito devido à popularidade. No fim, todos se voltaram contra Ele, incluindo Seus próprios seguidores. Seu ministério alcançou as multidões devido à demonstração de poder:

“E muito se maravilhavam da sua doutrina, porque a sua palavra era com autoridade” (Lucas 4.32).

“Todos ficaram grandemente admirados e comentavam entre si, dizendo: Que palavra é esta, pois, com autoridade e poder, ordena aos espíritos imundos, e eles saem?” (Lucas 4.36).

“Como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com poder, o qual andou por toda parte, fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele” (Atos 10.38).

A Igreja Primitiva nasceu em uma demonstração de poder. Eles disseram… “Estes que têm transtornado o mundo chegaram também aqui” (Atos 17.6).

A Igreja Primitiva afetou cidades e nações inteiras, porém ela não fez isso exclusivamente através de pregadores. As pessoas escutaram e suas vidas foram mudadas porque elas testemunharam da demonstração do poder de Deus:

“As multidões atendiam, unânimes, às coisas que Filipe dizia, ouvindo-as e vendo os sinais que ele operava. Pois os espíritos imundos de muitos possessos saíam gritando em alta voz; e muitos paralíticos e coxos foram curados. E houve grande alegria naquela cidade” (Atos 8.6-8).

Quando Pedro chegou em Lida, ele encontrou um homem chamado Enéias que havia estado prostrado na cama durante oito anos…

“Disse-lhe Pedro: Enéias, Jesus Cristo te cura! Levanta-te e arruma o teu leito. Ele, imediatamente, se levantou. Viram-no todos os habitantes de Lida e Sarona, os quais se converteram ao Senhor” (Atos 9.34-35).

Em Jope, Pedro levantou dos mortos uma mulher chamada Dorcas. Quando este milagre aconteceu…

“Isto se tornou conhecido por toda Jope, e muitos creram no Senhor” (Atos 9.42).

Cada demonstração miraculosa do poder de Deus enfocou a atenção no Senhor Jesus cristo. Cada encontro de poder produzia multiplicação da igreja. Influência política não é o que nós necessitamos para alcançar o mundo com o Evangelho. A Igreja Primitiva não tinha suficiente influência para tirar Pedro da prisão, porém ela tinha bastante poder para orar.

Mais pregadores não é o que alcançará o mundo. A Igreja Primitiva orou durante dias, pregou alguns minutos e se salvaram 3.000 almas (Atos 1 e 2). Hoje nós oramos dez minutos, pregamos dez dias de reavivamento, e vemos somente trinta que são salvos.

Mais dinheiro para o ministério não assegura alcançar o mundo com a mensagem do Evangelho. É verdade que o dinheiro é importante à obra do ministério, não é o essencial, mas é necessário.

Quando Pedro e João passaram pela porta do templo em Jerusalém, um mendigo coxo pediu moedas. Pedro e João não tinham sequer uma pequena quantidade de dinheiro. Porém, eles deram o que eles tinham:

“Pedro, porém, lhe disse: Não possuo nem prata nem ouro, mas o que tenho, isso te dou: em nome de Jesus Cristo, o Nazareno, anda! E, tomando-o pela mão direita, o levantou; imediatamente, os seus pés e tornozelos se firmaram; de um salto se pôs em pé, passou a andar e entrou com eles no templo, saltando e louvando a Deus” (Atos 3.6-8).

O que eles tinham era poder e autoridade no nome de Jesus. Eles não tinham nenhum orçamento de publicidade para chegar à cidade de Jerusalém. Eles não tinham nenhum folheto impresso ou Bíblia, nenhuma rede de televisão. Porém, eles tinham o poder. Através da demonstração do poder de Deus, a cidade inteira foi afetada pela mensagem do evangelho (Atos 3 e 4).

A Igreja Primitiva compreendeu que o Evangelho do Reino não somente era de palavra, mas de poder:

“Porque o reino de Deus consiste não em palavra, mas em poder” (I Coríntios 4.20).

O PODER DE ESCOLHA

Quando Deus criou o mundo, Ele fez muitos tipos diferentes de criaturas. Ele fez animais, peixes, e pássaros (Gênesis 1).

Porém, a maior criação de Deus foi o homem, que foi criado em Sua própria imagem. O homem é único entre todas as criaturas porque ele tem um corpo, alma e espírito. Ele foi criado para render culto a Deus e ter comunhão com o Deus vivo e verdadeiro (Gênesis 2 e 3).

O homem, pela criação, é o companheiro de um milagre operado pelo Pai, o Deus vivo e verdadeiro. O homem, dotado com o sopro de Deus e feito à Sua imagem, tem uma capacidade para o poder diferente de qualquer outro ser criado. A esfera da operação de milagres deve ser a esfera natural do homem.

O homem tem a mente mais poderosa e inteligente de todas as criaturas de Deus. O homem tem o poder da opção. O homem pode escolher fazer o bem e o mal. Ele pode escolher obedecer a Deus ou a Satanás.

A primeira tentação do homem por Satanás no jardim do Éden enfocou neste poder de escolha (Gênesis 3). Ao pecar, uma natureza básica de pecado tem passado dão e Eva a toda humanidade devido a uma escolha errada.

A BASE DO PODER ESPIRITUAL

Se o homem deseja experimentar o verdadeiro poder espiritual, ele deve escolher servir a Deus. Desde que todos são pecadores, todos estão em necessidade de perdão:

“Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3.23).

O perdão passa pelo arrependimento e crença em Jesus Cristo:

“Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (I João 1.8-9).

O arrependimento do pecado é a base para o poder espiritual. Você não pode experimentar o poder de Deus se você permanece na morte espiritual do pecado. Quando os discípulos estavam pregando em uma cidade, um homem chamado Simão testemunhou o poder de Deus em ação. Ele ofereceu dinheiro a Pedro e disse:

“Propondo: Concedei-me também a mim este poder, para que aquele sobre quem eu impuser as mãos receba o Espírito Santo” (Ato s 8.19).

Paulo respondeu:

“O teu dinheiro seja contigo para perdição, pois julgaste adquirir, por meio dele, o dom de Deus. Não tens parte nem sorte neste ministério, porque o teu coração não é reto diante de Deus. Arrepende-te, pois, da tua maldade e roga ao Senhor; talvez te seja perdoado o intento do coração; pois vejo que estás em fel amargura e laço de iniqüidade” (Atos 8.20-23).

O arrependimento é a base de todo poder espiritual verdadeiro. Você nunca experimentará o poder de Deus a menos que você tenha experimentado primeiro o arrependimento. A salvação do pecado é a maior demonstração do poder de Deus.

Deus não derrama Seu poder através de vasos pecadores. Ele não trabalha através de pessoas que tentam melhorar suas vidas através do auto-esforço (Mateus 9.16-17). Deus demonstra Seu poder através de vasos santos que se arrependeram e estão servindo-o.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.