O CONCEITO DE LIDERANÇA

O CONCEITO DE LIDERANÇA

Não é possível conceituarmos “liderança” ou “líder” numa só palavra ou mesmo numa só frase. O tema é tão rico e amplo que precisamos conceituá-lo de uma maneira bem mais extensa do que os dicionários o fazem.

O que é liderança ou liderar? O que significa ser um líder?

Enquanto respondemos estas questões, nós transmitiremos importantes e inegociáveis princípios bíblicos sobre a liderança cristã.

A – LIDERANÇA É AUTOCONHECIMENTO.

É praticamente impossível alguém ser um líder sem ter um profundo conhecimento de si mesmo. Na Bíblia nós encontramos diversos líderes, como Davi ou Moisés, que tinha um claro e preciso conhecimento de si mesmo, tanto do seu chamado quanto de suas fraquezas, limitações e virtudes.

O líder cristão conhece sua identidade; ele sabe quem ele é em Cristo e quem ele é na carne. Ele conhece e reconhecer suas fraquezas e, portanto, pode trabalhar melhor para superá-las. Ele sabe que é chamado por Deus e quais são os dons e ministérios que o Senhor lhe concedeu. Ele sabe qual é o nível e a extensão de sua autoridade; ele conhece seu exato lugar no plano geral de Deus; ele conhece seu lugar em sua igreja local.

De fato, o autoconhecimento é um princípio-chave para o desenvolvimento na liderança. Uma pessoa pode ter o chamado, mas se não tem desenvolvido o autoconhecimento, ela poderá retardar, prejudicar, atrofiar, ou paralisar seu crescimento espiritual e na liderança.

Um líder deve ser capaz de falar como Jesus – “eu sou” e “para isso fui enviado”. O líder deve saber quem é e qual é a sua missão ou chamado.

B – LIDERANÇA É INICIATIVA E DEFINIÇÃO.

O líder é aquele que toma a iniciativa, quem toma a dianteira diante do chamado e das possibilidades que Deus abre para a expansão do Reino e edificação da Igreja.

Se você é alguém que sempre espera pelos outros para fazer as coisas, então você é um seguidor, não um líder. O líder é automotivado, por isso ele se adianta em fazer aquilo que Deus tem colocado em seu coração.

O líder sabe o que quer e sabe para onde está indo. Ele busca e conhece a direção de Deus para sua vida. Ele tem um rumo estabelecido; ele está definido em sua vida. Ele não está testando e procurando descobrir qual é o seu chamado, sua missão.

C – LIDERANÇA É PERSEVERANÇA.

Ser líder é dureza. O líder enfrentará muitas dificuldades para cumprir seu chamado. Haverá lutas internas e externas; oposição e adversidades naturais e sobrenaturais. Ele precisa ter paciência; ele precisa agüentar até o fim. O líder é aquele que persevera em meio às dificuldades; ele não é um super-homem, mas não desiste na primeira dificuldade e nem retrocede quando não é bem recebido.

D – LIDERANÇA É COMPROMISSO TOTAL.

Um referencial seguro para descobrir líderes é observar quem é totalmente comprometido com Cristo, com a Causa de Cristo e com o Corpo de Cristo.

Há pessoas que acham que são líderes, mas não estão totalmente comprometidas em fazer a vontade do Pai, custe o que custar. O líder é uma pessoa “fanática” (no bom sentido), obcecada (no bom sentido) em fazer o que Deus quer.

E – SER LÍDER É SER AUTÊNTICO.

Liderança é para pessoas reais, autênticas; pessoas que não fingem. O líder não é um supercrente que nunca peca, nunca comete erros, que não possui pensamentos impuros, que nunca cobiça e etc. Ele é tão humano como todos os demais. Infelizmente, as pessoas normalmente criam uma imagem de infalibilidade na líder e ele, por sua vez, aceita esta imagem e finge ser o que ele não é, na maioria das vezes com medo de perder “autoridade” ou não ser levado a sério pelos outros. Porém, este é um dos maiores erros que um líder pode cometer.

Não finja ser o que você não é. Seja transparente. Não permita que as pessoas criem uma expectativa irreal de quem você é e como você vive. Não tente mostrar para seus liderados que você é “perfeito”, pois eles ficarão frustrados quando descobrirem a verdade!

F – SER LÍDER É SER DIGNO DE CONFIANÇA.

Quando Moisés foi instruído por seu sogro, Jetro, a escolher líderes para dividir a tarefa de guiar o povo de Israel, uma dos requisitos era que eles deveriam ser “homens de verdade” (Êxodo 18.21). A NTLH diz: “homens que mereçam confiança”.

O líder é um despenseiro dos mistérios de Deus e também dos homens. Portanto, ele deve ser fiel:

“Ora, além disso, o que se requer dos despenseiros é que cada um deles seja encontrado fiel” (1 Coríntios 4:2).

Se você é um pastor, Seu Deus pode confiar em você? Você está realmente decidido a fazer a Sua vontade, custe o que custar? Você está comprometido em cumprir seu chamado?

Se você é um líder nalguma área da igreja, você está sendo fiel a Deus? Você está sendo leal aos seus companheiros líderes? Você esta sendo leal à visão do seu pastor?

G – SER LÍDER É SER OUTROCÊNTRICO.

Há pessoas egocêntricas, ou seja, que vivem para si mesmas. E existem pessoas “outrocêntricas”, pessoas que vivem para as outras pessoas. Jesus foi outrocêntrico e nós também devemos ser.

O líder é, por natureza, alguém que vive para outros ao invés de viver para si mesmo. Ele não busca seus próprios interesses, mas sim o propósito de Deus para o bem dos outros.

H – SER LÍDER É SER CAPAZ DE ENSINAR.

Um dos requisitos para a liderança em 1 Timóteo 3 é que o candidato seja apto para ensinar. Paulo não está dizendo que todos os líderes devem possuir o dom de ensino ou que devam ser mestres da Palavra. Ele está tratando de uma habilidade que pode ser adquirida por meio do estudo e da experiência.

A capacidade de ensino de um líder não tem que ser necessariamente acadêmica; ela não precisa ser obtida num seminário ou faculdade bíblica. Você pode adquirir habilidade para ensinar através de cursos por extensão, através de ensino pessoal de alguém capacitado nesta área, observando a outros, e experimentando pessoalmente. Na verdade, não existe nada que substitua a experiência pessoal nesta e em qualquer outra área da vida ou ministério.

Nós cremos, na verdade, que quanto mais comprometido for o líder com o seu chamado, tanto mais ele buscará capacitação. Assim, nós cremos que ele apelará para o mix de recursos que possam melhor capacitá-lo para ensinar e liderar, ou seja, ele buscará um treinamento formal (escola bíblica ou centro de treinamento), ajuda pessoal (mentoria), observará a outros e experimentará por si mesmo.

I – LIDERANÇA É SERVIÇO.

Muitas pessoas procuram ser líderes para que possam “mandar” ou ostentar um título e/ou posição na igreja. Mas a verdadeira liderança diz respeito a servir e não a ser servido. Liderança, portanto, é lavar aos pés dos outros. Em João 13 nós vemos este exemplo em Jesus Cristo.

Nós cremos que Cristo realmente colocou uma autoridade de liderança importante nas mãos dos líderes. No entanto, nós entendemos pela Palavra de Deus que o líder deve exercer sua autoridade dada por Deus com humildade, cuidando dos seus liderados voluntariamente, e com o desejo sincero de edificar o Corpo de Cristo (Mc 10.37; 44-45).

O líder cristão é chamado para “servir” com humildade, não atraindo a atenção para si mesmo e sim para Jesus.

J – LIDERANÇA É INFLUÊNCIA.

O líder é alguém que motiva as pessoas para cumprir certos propósitos e/ou objetivos; ele é um influenciador. Paulo entendia claramente isso; é tanto que ele instruiu a Timóteo quanto a treinar homens que fossem fiéis e capazes de instruir a outros (2 Tm 2.2).

Convém lembrar, contudo, que influência é diferente de “manipulação”. A influência se apóia na autoridade moral de uma pessoa; a manipulação se apóia na capacidade de alguém para forjar uma situação que não existe. O líder, por ter autoridade espiritual e moral, transmite visão bíblica e motivação para que outros ajam em prol de uma causa comum. O manipulador, por outro lado, não tem autoridade espiritual e/ou moral, desta forma ele forja uma autoridade que não possui para levar as pessoas a cumprirem sua própria vontade ao invés da visão de Deus.

Assim, a “influência” do líder, quando não é positiva, quando não é biblicamente orientada, se torna manipulação.

L – LIDERANÇA É COORDENAÇÃO.

Liderança se refere a coordenar as idéias dos outros para cumprir uma tarefa comum. O líder não é o “faz-tudo” e muito menos o “manda-chuva”. Ele é um servo que reúne pessoas, habilidades e recursos para cumprir a visão comum dada por Deus a um determinado grupo.

M – LIDERANÇA É ESTABELECER UM EXEMPLO.

Ser um líder é ser um exemplo para os outros. 1 Pedro 5.1-4 nos mostra claramente que os líderes, como pastores do rebanho de Deus, devem exercer influência provendo um exemplo de piedade e de serviço para os outros seguirem. Assim, o líder não é aquele que impõe sua vontade sobre o povo de Deus, mas sim aquele que mostra como ser e viver como cristão.

É muito importante que os líderes treinem a cada membro do corpo através de modelagem. Os líderes bíblicos são responsáveis para estabelecer modelos para que os liderados possam seguir e ajudá-los a andar segundo estes modelos. Esta modelagem deve ser prática e deve afetar cada área da vida e ministério: exercício dos dons, relacionamento familiar, relacionamento entre os irmãos, etc.

N – LIDERANÇA É OUVIR A DEUS.

Uma característica que se destaca em todos os líderes que encontramos na Bíblia é a capacidade de ouvir a Deus. De fato, toda liderança é baseada no ouvir a Deus. Por isso é imprescindível que o líder cristão gaste tempo na presença de Deus procurando ouvir e discernir Sua voz. O líder deve dedicar um tempo diário de qualidade para buscar a Deus e ouvir Sua voz, tanto pela leitura da Palavra como também em seu interior e através dos dons e manifestações do Espírito.

O – LIDERANÇA É VISÃO.

Uma outra importante característica da liderança cristã é a visão. Visão é enxergar ou conhecer o que, como, por que, quando, quem e onde a vontade de Deus deve ser cumprida. Visão é a direção que Deus dá para um líder; é um “futuro preferível”.

Liderança é ver a grande figura, ver o que Deus está fazendo corporativamente na Igreja e no mundo. Também é ver qual é a direção específica que Deus tem para você em relação à grande figura.

Todo líder tem um sonho; um futuro preferível. Deus planta dentro dele este sonho, esta visão. Assim, tal visão se torna consumidora, pois ele sabe que não poderá sentir-se realizado sem cumprir a visão que Deus lhe deu.

Liderança é ter uma visão para o futuro. Se você é pastor de uma igreja ou líder de igrejas, ou mesmo um líder de um ministério numa igreja local, você precisa obter esta visão do futuro, esta visão de onde Deus quer que você chegue em seu ministério.

A visão não é obtida da noite para o dia; ela vem com o tempo. Você precisa gastar tempo com Deus, olhando dentro do seu próprio coração para descobrir o que Deus plantou ali; você precisa estudar as Escrituras, orar, buscar experiências com Deus, refletir acerca de Sua vontade e suplicar pela direção do Espírito Santo para que a visão venha, cresça e amadureça em seu espírito e, então, se torne realidade (ou comesse a tornar-se realidade).

P – LIDERANÇA É EQUIPAR OUTROS PARA O MINISTÉRIO.

Um líder não é o “faz tudo”; ele é um capacitador. Ele é chamado e estabelecido por Deus para descobrir, treinar e equipar os dons e chamados de outros. Efésios 4.11-12 deixa bem claro que Deus estabeleceu determinados líderes na igreja para este fim.

Q – LIDERANÇA É TER UMA VOZ PROFÉTICA.

Todo líder deve falar em tom profético de vez em quando. Todo líder deve ter uma voz profética, por mais que ele não tenha o dom de profecia, ou seja, um profeta.

Profecia significa “trazer à luz”. O líder é profético quanto ele traz à luz, quando ele esclarece a vontade de Deus e a condição do povo de Deus. O líder é profético quando ele chama o povo de Deus para viver à luz da eternidade.

R – SER UM LÍDER É PERMANECER SOZINHO QUANDO NECESSÁRIO.

Um dos preços mais altos da liderança é a solidão. E tenha certeza de que, como líder, você terá muitos momentos solitários. Mesmo que você esteja cercado por uma multidão, muitas vezes você se sentirá sozinho: quando ninguém está vendo você, quando ninguém ouve o que você ouve; quando as pessoas não entendem a vontade de Deus; quando as pessoas não são leais a você; quando as pessoas se levantam contra você; quando você tem que viajar para ministrar a outros; quando você assume a responsabilidade final por uma decisão, etc.

S – SER LÍDER É TER UM CARÁTER PIEDOSO.

Paulo recomendou que Timóteo se tornasse um padrão dos fiéis em todas as coisas (1 Tm 4.12). Timóteo deveria ter um caráter piedoso para ser um exemplo para outros. Inclusive, em suas cartas ao seu filho na fé, Paulo fala bastante sobre piedade.

De fato, um líder sem caráter piedoso é um líder condenado ao fracasso. Lance Pittiluck, pastor sênior da Comunidade Cristã da Vinha em Anaheim, Califórnia (EUA), escreveu:

“As pessoas COMEÇAM na liderança porque possuem um dom de liderança, mas as pessoas PERMANECEM na liderança porque elas têm um caráter piedoso”.[1]

T – LIDERANÇA É RECEBER E EXERCER SABEDORIA.

A sabedoria é uma qualidade indispensável num líder cristão. Sabedoria é saber usar da maneira correta o conhecimento disponível. Não adianta uma pessoa ter muito conhecimento e não saber aplicar tal conhecimento; ela precisa saber como aplicar este conhecimento – sabedoria.

Receber ou obter informações, conhecimentos não é difícil; é possível até mesmo obter alguns conhecimentos com extrema rapidez. Mas obter sabedoria leva tempo. Uma boa recomendação para obter excelentes conselhos e princípios de sabedoria é ler todo dia um capítulo de Provérbios durante um ano.

Em Jeremias 3.15 nós encontramos uma promessa de Deus de dar ao Seu povo líderes com sabedoria e conhecimento. Líderes sem estes qualificativos não são líderes dados por Deus.

U – LIDERANÇA É SOBRE FIDELIDADE.

O líder é um obreiro fiel. Ele é fiel ao chamado de Deus em sua vida. Ele é fiel no uso dos recursos espirituais e materiais que Deus lhe deu.

Os líderes bíblicos devem ser fiéis à Palavra de Deus e ao modelo de ensinamento recebido de seus líderes. Paulo recomendou a Timóteo para escolher homens fiéis que se encarregariam de transmitir seus ensinamentos a outros homens fiéis (2 Tm 2.2). Timóteo foi fortemente exortado a manter o “padrão” das sãs palavra transmitidas por Paulo (2 Tm 1.13).

Ser fiel – aqui neste contexto – é ser capaz de manter o mesmo conteúdo, os mesmos princípios, as mesmas verdades, os mesmos valores, o mesmo modelo que nossos líderes nos transmitiram. Paulo ilustrou isto muito bem quando lembrou a Timóteo: “Tu, porém, tens seguido, de perto, o meu ensino, procedimento, propósito, fé, longanimidade, amor, perseverança…” (2 Tm 3.10). Timóteo era um verdadeiro líder porque ele era fiel à Palavra de Deus e ao modelo recebido de Paulo.

V – LIDERANÇA É UM DOM.

É possível, certamente, desenvolver habilidades naturais de liderança. “Líderes não nascem, são feitos” é uma frase muito comum em treinamentos de liderança. A ênfase é colocada exclusivamente no treinamento, na aquisição de habilidades de liderança. “Se você treinar duro, você será um bom líder”.

Nós cremos que realmente é possível uma pessoa desenvolver habilidades de liderança. Nós cremos igualmente que é importante que líderes sejam formados, treinados e equipados. Mas também cremos que é impossível formar líderes bíblicos sem um dom específico da parte de Deus.

Um erro muito comum é igualar liderança com ministério. Um complementa o outro, mas são duas coisas diferentes. Uma pessoa pode ser chamada e capacitada para ministrar, mas não possuir o dom de liderança. Há pessoas que sabem ensinar, aconselhar e/ou escrever e são colocadas em posições de liderança como, por exemplo, no pastorado de uma igreja. A simples capacitação ministerial de uma pessoa não faz dela um líder. Além das habilidades ministeriais, ela também precisa ter o dom de liderança. Tendo o dom de liderança, a pessoa poderá trabalhar em cima deste alicerce, procurando desenvolver o dom dado por Deus.

X – LIDERANÇA É DISCIPLINA.

Paulo falou sobre disciplina quando escreveu: “Todo atleta em tudo se domina; aqueles, para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, a incorruptível” (1 Coríntios 9.15).

Se você é chamado para liderar, então não seja relaxado com sua vida espiritual ou ministério. Exerça o autodomínio; aprenda a resistir as tentações do mundo e da carne. Cumpra com seus deveres.

O líder disciplinado sabe organizar sua agenda para que não deixe de fazer o que é necessário e não perca tempo demais com coisas fúteis (gastar um pouco de tempo com “bobagens” às vezes é muito produtivo!).


[1] Lance Pittluck, Excel: Leadership Training.

QUALIFICAÇÕES DO LÍDER

QUALIFICAÇÕES DO LÍDER

            O sogro de Moisés, Jetro, entendeu muito bem a necessidade do povo de Deus ser liderado por pessoas qualificadas. Em Êxodo 18.21, ele aconselha a Moisés para escolher como líderes:

  • Homens capazes
  • Tementes a Deus
  • Homens de verdade – confiáveis
  • Que aborrecem a avareza

            Paulo, orientado pelo Espírito Santo, também forneceu informações preciosas sobre a necessidade de líderes qualificados. 1 Timóteo 3.1-13 fornece diversos qualificativos para os líderes da Igreja. Todos nós somos chamados para seguir o exemplo deles, pois um alto padrão de vida cristã não é exclusividade dos pastores da igreja, mas é a norma para cada um de nós. Estude detidamente estes qualificativos bíblicos para líderes e veja como você se encontra em relação à existência deles em sua vida.

            Mas, não fique desencorajado se você não encontrar alguns destes qualificativos em sua vida. Você está num processo de aprendizado e descoberta. O importante é que, agora, o desejo do seu coração seja o de seguir os princípios bíblicos. Arrependa-se de tudo aquilo que não condiz com o plano de Deus para sua vida e, por fé, decida crescer nas áreas mais deficientes de sua vida.

            Você pode não ter ainda um alto grau de qualificativos, mas se houver  compromisso em obtê-los, você está bem adiantado no que Deus quer fazer em sua vida. Josh McDowell escreveu: “Todos têm uma coisa em comum – tempo. Mas o que se manifesta de maneira diferente nas pessoas é o esforço”.

Esforço para crescer e desenvolver-se como líder de célula é o mínimo que esperamos e exigimos dos líderes de células.

            Além de todos estes requisitos necessários para qualificar alguém para ser líder de células, nós faremos bem em dar atenção às quatro qualidades de caráter imprescindíveis num líder. Segundo Larry Stockstill, estas quatro qualidades são:

  • Iniciativa: Iniciativa é reconhecer e fazer o que necessita ser feito antes de ser pedido. É introduzir ou começar uma ação, movendo idéias para a realização. É um risco calculado; não ser impetuoso, mas guiado por sabedoria e cautela. Permanecer de pé quando todos estão satisfeitos em sentar. Ter iniciativa é: Ver a necessidade. Reivindicar responsabilidade. Identificar a solução. Pessoalmente ver através da solução para o sucesso. “Trate com as questões no mesmo dia em que a ouviu”. “Comece para terminar, termine para vencer”.
  • Entusiasmo: Entusiasmo pode ser definido como procurar pelo melhor resultado possível e dirigir todas as energias para capitalizar neste potencial. Entusiasmo é uma escolha, uma determinação de tirar o melhor de uma oportunidade. É escolher ver as situações com excitação mais do que com ceticismo.
  • Sinceridade: Genuinidade, franqueza, abertura. Sinceridade envolve uma disposição para ser transparente e deixar os fatos serem conhecidos. Sinceridade é honestidade de mente ou intenção, e ser livre de simulação ou hipocrisia. Sinceridade é revelada na personalidade de alguém como um reflexo do caráter de uma pessoa através de motivações e tendências.
  • Flexibilidade: Flexibilidade é tirar o máximo de cada mudança, aprender a dobrar-se. Flexibilidade é a força para florescer em um ambiente de mudanças. Ela envolve ser obediente às novas instruções muito embora as antigas pareçam mais favoráveis. Ela inclui adaptar-se às instruções de suas autoridades. Flexibilidade capacita-nos a aceitar a mudança quando ela ocorre.

 

O líder de célula também precisa ter uma certa maturidade espiritual. Convém lembrarmos, porém, que a maturidade espiritual não é medida pela quantidade de conhecimento bíblico que temos, mas pelo compromisso que temos em viver a Palavra de Deus. Ela é medida pelo que tem mudado em nossas vidas de acordo com o que já entendemos da vontade de Deus. Há diversos níveis de maturidade e não esperamos que os líderes de células estejam no topo da montanha da maturidade.

O líder de célula não pode ser alguém que não tem experimentado quase nada da vida cristã. Embora não seja precisamente o tempo de conversão o fator principal que irá determinar a maturidade de alguém, é necessário que, desde a sua conversão, o aspirante a líder tenha experimentado uma transformação progressiva em sua vida.

            A seguir nós fornecemos algumas questões que podem ajudar-nos a averiguar a maturidade espiritual de um líder. Uma resposta afirmativa para cada uma destas questões provê uma base mínima para qualificar e aprovar um líder:

  • Ele tem um real e estável relacionamento com Jesus Cristo? Ele possui uma boa vida devocional?
  • Ele aceita ser discipulado?
  • Ele freqüenta regularmente a Igreja?
  • Ele é um jogador de equipe?
  • Ele está mais disposto a servir do que ser servido?
  • Ele evangeliza freqüentemente?
  • Ele tem participado ativamente de uma célula?
  • Ele tem sido treinado para liderar?

Além disso, ele deve ter um bom nível de compromisso. Compromisso pode ser definido como a firme resolução de proceder com responsabilidade naquilo em que se está envolvido. Sem compromisso não há crescimento espiritual e muito menos condições para liderar.

Igreja em Células

Uma igreja celular é caracterizada por:

A – PEQUENOS GRUPOS QUE SE REÚNEM NOS LARES

            A igreja não depende de um templo para sua existência (embora não despreze a necessidade de reunir-se em locais maiores sob o princípio do “templo”). A sua vida normal acontece nos pequenos grupos de discípulos espalhados pela cidade.

            Estes grupos se reúnem em qualquer dia e horário da semana e não têm que, obrigatoriamente, se reunir numa casa – embora este seja o local ideal.

B – FOCO NA PRESENÇA E PODER DE JESUS NO MEIO

            A presença de Jesus não é buscada somente no templo, mas também no lar, na célula. Jesus está presente onde dois ou três estiverem reunidos em seu nome (Mateus 18.20). A célula busca e experimenta a presença de Deus. A célula busca e experimenta também o poder de Deus. Nós esperamos que Deus se manifeste em poder na célula, assim como no templo.

 

As células estão centralizadas em Jesus. Ele é o Senhor da igreja. Ainda que muitas igrejas confessem que Jesus é Senhor delas, poucas realmente vivem esta declaração. Quando Jesus é, de fato, o Senhor da igreja, ali há um compromisso apaixonado por Jesus e por sua visão para a igreja. Muito tempo é gasto em oração e jejum para se ouvir a voz de Deus e caminhar na direção apontada por ele.

C – LÍDERES VOLUNTÁRIOS (DISCÍPULOS)

            A liderança das células é formada por membros da igreja que, voluntariamente, se dedicam a pastorear e nutrir outras vidas com o amor e com a Palavra de Deus. Eles não são “profissionais”, mas simplesmente pessoas comuns com um chamado divino para servir aos outros na liderança de células.

            O fundamento da liderança é o serviço. Os líderes não estão nesta posição para mandar, mas para servir e dar a sua vida pelos outros, conforme o próprio Senhor Jesus exemplificou.

D – CADA CRENTE MINISTRA ATRAVÉS DOS DONS ESPIRITUAIS

            Enquanto numa grande reunião da igreja apenas alguns possuem a oportunidade para participar efetivamente, na célula todos podem ministrar uns aos outros através dos dons espirituais; e não somente com alguns, mas com todos os dons.

E – VIDA EM COMUNIDADE

            Nas células cada um procura ajudar aos outros através da oração, do discipulado, do encorajamento e do auxílio emocional, físico e material. Existe um compartilhar genuíno da vida como um todo. Na célula, o fruto do Espírito é evidentemente visto e demonstrado para o bem dos outros.

F – EVANGELISMO

            Numa igreja celular não existe uma equipe especial para fazer o trabalho evangelístico dos demais. Cada um é responsável para evangelizar os perdidos. Cada membro da igreja entende e utiliza o que são e possuem como um canal e ambiente para testemunhar do amor e poder de Jesus com outros. Emprego, família, bens – tudo é usado para alcançar aqueles que ainda não foram salvos.

G – SACERDÓCIO DE TODOS OS CRENTES

            Numa igreja celular todos os membros reconhecem que são sacerdotes diante de Deus, todos exercem seus dons espirituais para a edificação do corpo inteiro, cada um é encorajado para ter uma atitude de serviço, aonde cada um é responsável a e por outras pessoas na célula.

            Os valores bíblicos do Reino de Deus não ensinados e adquiridos. O ensino da Palavra é acompanhado pela prática correspondente. As verdades não são apenas aprendidas, mas também internalizadas e aplicadas à vida real, produzindo transformações.

H – LIDERANÇA DO ESPÍRITO SANTO

            Uma igreja celular é uma igreja onde todos os crentes estão abertos à liderança e visão do Espírito Santo, todos reconhecem suas limitações e se tornam dependentes da multiforme graça de Deus, onde o louvor e a adoração ocorrem com apaixonado amor por Jesus, o cabeça da Igreja.