A PESSOA DE JESUS CRISTO

Resultado de imagem para discipulado
A PESSOA DE JESUS CRISTO

 

“CREIO EM JESUS CRISTO, SEU ÚNICO FILHO, NOSSO SENHOR”

 

Deus providenciou a salvação para o homem através da vinda de Seu Filho ao mundo. O Credo dos Apóstolos declara: “Creio em Jesus Cristo, seu único Filho, nosso senhor, o qual foi concebido por obra Espírito Santo; nasceu da Virgem Maria….” Nessa afirmação do Credo, há a apresentação dos dois aspectos da pessoa de Jesus Cristo: Sua divindade e Sua humanidade. Consideremos ligeiramente esses dois aspectos.

 

  1. A DIVINDADE DE CRISTO:

Reconhecemos na pessoa de Cristo a pessoa do próprio Deus. A  expressão “seu único Filho, nosso Senhor”, significa que Ele não somente participa da divindade, mas é o próprio Deus.

 

No Antigo Testamento temos as seguintes declarações sobre o Cristo que havia de vir: “Seu nome será maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz” (Is.9:6).

“Eis que vem dias , diz o Senhor, em que levantarei a Davi um Renovo justo; e, rei que é, reinará e agirá  sabiamente, e executará o juízo e a justiça na terra…. será este o seu nome, com que será chamado: o Senhor justiça nossa” (Jr.23:5-6).

“E tu, Belém Efrata, pequena demais para figurar como grupo de milhares de Judá, de ti me sairá o que há de reinar em Israel, e cujas origens são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade.” (Mq.5:2).

Em qualquer profecia messiânica do Antigo Testamento nos livros proféticos, poéticos e históricos, o Messias que havia de vir é apresentado como Deus.

 

No Novo Testamento a apresentação de Cristo como Deus é ainda mais clara. Citemos alguns exemplos:

O Evangelista Mateus, citando o profeta Isaías, confirma a divindade de Cristo: “Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho, e ele será chamado pelo nome de Emanuel. Que quer dizer: Deus conosco.” (Mt.1:23).

O Evangelista João apresenta Cristo do seguinte modo: “No princípio era o verbo, e o verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.” (Jo.1:1).

O apóstolo Paulo declara a respeito de Cristo: “Ele é a imagem invisível, o primogênito de toda a criação… porque aprouve a Deus que nele residisse toda a plenitude” (Cl.1:15,19).

O que encontramos claramente no Antigo e no Novo Testamento é a apresentação de Cristo como pessoa divina, o próprio Deus.

 

  1. A HUMANIDADE DE CRISTO:

A Bíblia afirma que Jesus Cristo foi também homem. O credo resumindo essa crença, afirma: “foi concebido por obra do Espírito Santo, nasceu de Virgem Maria.” Anotemos essas duas expressões foi concebido e nasceu. Somente  um ser humano real pode ser concebido e nascer. Ele “foi concebido por obra do Espírito Santo”, quer dizer que a sua entrada no mundo não dependeu da iniciativa e da vontade dos homens, mas foi responsabilidade do próprio Deus. A doutrina do nascimento virginal de Cristo é importante porque chama a nossa atenção para esse fato, isto é, a intervenção sobrenatural na História, enviando seu Filho ao mundo. “Vindo, porém, a plenitude do tempo, Deus enviou seu Filho, nascido de mulher, nascido sob a lei.”. Assim afirmou Paulo (Gl.4:4). Lemos no Novo Testamento que Jesus Cristo era homem completo. Ele se encarnou assumindo a natureza humana (Jo.1:14). Ele possuía os elementos essenciais da natureza humana: corpo, alma, espírito, sangue, coração (Mt.26:26, 28, 38; Jo.11:33; Hb.2:14). Ele estava sujeito às leis do desenvolvimento físico e mental (Lc.2:52). Ele estava sujeito às tentações e sofrimentos (Hb.2:10,18). Ele passou por experiências normais da pessoa humana: fome, sede, sono, compaixão, raiva, cansaço, choro, angústia, morte, etc. (Mt.4:2; 8:24; 9:36; Mc.3:5; Lc.22:44; Jo.4:6; 11:35; 19:28,30). Enfim, Ele foi uma pessoa semelhante a qualquer um de nós em todos os aspectos, exceto no pecado (Hb.4:15). Podemos, então, afirmar hoje o que a Igreja tem afirmado em todas as épocas de sua existência: Jesus Cristo é verdadeiro Deus e verdadeiro homem.

 

  1. OS NOMES DE CRISTO:

Cada um de nós tem um nome. Na Bíblia, os nomes dados a Cristo são importantes porque descrevem, ora a Sua pessoa, ora a Sua missão, ora a Sua posição como Messias. Cada nome apresenta um aspecto importante do Salvador. Consideremos cada um dos nomes de Cristo:

 

  • JESUS: Este nome foi dado ao Salvador no Seu nascimento. É o nome pelo qual Ele era chamado em Seu lar, pelos seus parentes e amigos. Esse nome não era uma simples palavra sem sentido, a palavra Jesus é a forma grega do nome hebraico, que significa SALVAÇÃO. Como disse o anjo ao anunciar o nascimento a José “e lhe porás nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles” (Mt.1:21).

 

  • CRISTO: Esse nome não era uma simples palavra hebraica, significa UNGIDO. A palavra Ungido era usada para designar o Messias. O nome CRISTO chama  atenção para a divindade de Jesus para o Seu ofício Messiânico. O Messias é o redentor prometido no Antigo Testamento e esperado ansiosamente pelo povo de Israel.

 

  • FILHO DO HOMEM: Esse nome aparece no Antigo Testamento, especialmente no livro dos Salmos e nas profecias de Daniel e Ezequiel. O uso de nome nos Evangelhos é baseado no sentido de Daniel 7:13-14. Jesus chamou-se a Si mesmo de “Filho do homem” umas quarenta vezes. Poucas vezes a expressão “Filho do homem” é usada por outra pessoa. Esse nome é um tanto obscuro no seu significado, mas tudo indica que Jesus se referia à pessoa do Filho do Homem como um nome escatológico, isto é, relacionado com os últimos acontecimentos do universo, à salvação, que Deus trouxe ao mundo através de Seu Filho.

 

  • FILHO DE DEUS: Esse título era usado no Antigo Testamento para os reis, os anjos e o povo eleito em geral que era considerado FILHO DE DEUS. Esse título tornou-se um dos nomes de Jesus porque chama a atenção para a Sua pessoa divina e messiânica. Mas, especialmente, é usado para descrever a relação de Cristo com o Pai, como vimos na doutrina da Trindade (Mt.3:17; 11:27). Também no sentido de o Seu nascimento depender de Deus (Lc.1:35).

 

  • SENHOR: Esse nome é a tradução grega de um dos nomes de Deus no Antigo Testamento: ADONAI. Nos Evangelhos e nas Epístolas o nome SENHOR refere-se ao Senhorio de Cristo e à Sua Autoridade como Deus (Lc.2:11; At.2:36; Fl.2:11).

Através desses nomes nós podemos conhecer mais um pouco sobre a pessoa do nosso Salvador, o Deus-Homem que veio salvar o homem perdido.

Além desses nomes há várias figuras bíblicas para descrever a obra e a pessoa de Jesus. Exemplo: “O Cordeiro de Deus”, a “resplandecente estrela da manhã”, “o caminho”, “a porta”, “o pastor”, etc. Em todas as páginas do Novo Testamento a pessoa de Cristo é glorificada e exaltada.