A PRIORIDADE DA MULTIPLICAÇÃO

lideres2bde2bcelulas12

Robert Coleman diz o seguinte: “A prova de qualquer vida cristã é a multiplicação dessa vida em outros”. Da mesma forma, a prova do sucesso de qualquer ministério cristão é a multiplicação desse ministério na vida de outros.

 

Produzir fruto é mencionado mais de 50 vezes no Novo Testamento. Nas Escrituras, a fidelidade era atribuída à produção de frutos, a qual se associava à multiplicação. Um exemplo disso é a Parábola dos Talentos.

 

EM QUE TEMOS FALHADO?

 

No Corpo global de Cristo dos dias de hoje é raro encontrarmos verdadeiros ministérios de “multiplicação”. Muitos crescem mediante a adição, e algumas igrejas permanecem no mesmo nível, com a assistência até mesmo diminuindo em outras áreas.

 

85% de mais de 350.000 igrejas nos Estados Unidos estão diminuindo em frequência ou se mantêm com a mesma quantidade de membros. 2/3 das igrejas estão crescendo porque as pessoas vêm de igrejas que estão mortas ou morrendo. Menos de 3% das igrejas nos Estados Unidos estão crescendo ou aumentando o número de novos convertidos.

 

No Brasil, milhares ou até milhões se convertem todos os anos. As igrejas até que se enchem, mas falta um acompanhamento consistente, um discipulado sério. Por conta disso temos muitas igrejas frágeis, superficiais, supersticiosas e sincretistas.

 

Jesus enfatizou com igual valor a evangelização e o discipulado. Falhamos quando enfatizamos somente um e não os dois. Ambos são inseparáveis.

 

O QUE FEZ JESUS?

 

Jesus tinha, cronologicamente, uma estratégia definida para criar um movimento de multiplicação: buscar os perdidos, edificar os crentes e treinar os trabalhadores. Simples, mas revolucionário.

 

 

Ele se preparou apropriadamente

Jesus passou os primeiros 30 anos sendo treinado para o ministério que Seu Pai tinha para Ele.  Ele cresceu “em sabedoria, estatura e graça diante de Deus e diante dos homens” (Lucas 2.52). Ele treinou pelo exemplo.

 

De acordo com João 17, a obra de Cristo consiste em fazer discípulos fazedores de discípulos em cada nação, os quais podem criar e sustentar este movimento de multiplicação em todo o mundo.

 

 

Ele estabeleceu a base apropriada

 

A primeira parte de Seu ministério foi estabelecer o fundamento para um movimento de multiplicação futuro.

A primeira metade do ministério de Jesus aconteceu no deserto da Judéia. Naquele período Jesus fez só dois milagres específicos que estão registrados, desafiou cinco indivíduos a seguir-lhe, e principalmente passou tempo com Seus seguidores originais.