A Célula e o Culto de Celebração no Sistema Orgânico da Igreja em Células

A Célula e o Culto de Celebração no Sistema Orgânico da Igreja em Células

f10a9-comunhao-01

Por Joel Comiskey

No sistema orgânico de igreja em células, a célula é a joia da coroa. Não é apenas um grupo ou um meio para trazer mais crescimento para a igreja. A célula é a igreja!

As pessoas frequentemente me perguntam qual tipo de agrupamento homogêneo é melhor: células de homens? Células de mulheres? Células de famílias? Encontros de jovens? Eu sempre respondo, “eles são todos bons.” “A coisa principal”, eu digo-lhes, “é começar com uma definição holística que verdadeiramente descreve a célula como a igreja.” Eu promovo essa definição: um grupo de 3-15 pessoas que se reúne semanalmente fora do prédio da igreja com o propósito de evangelismo, comunidade e crescimento espiritual com o objetivo de fazer discípulos que fazem discípulos que resultam em multiplicação.

Jesus vive na célula e Ele faz discípulos através dela. Não barateie a sua definição para acomodar as pessoas. A célula é a jóia da coroa e deve permanecer pura.

E o encontro maior no sistema orgânico de igreja em células? Devemos lembrar que a igreja primitiva se reunia principalmente em igrejas domésticas, mas essas igrejas domésticas não eram entidades independentes. Às vezes, as igrejas domésticas se reuniram regularmente em conjunto para reuniões maiores, como podemos ver tanto em Jerusalém e Corinto. Em outros momentos, esses encontros foram menos frequentes.

Igrejas de células orgânicas veem a celebração como o encontro das células juntas para adorar o Deus vivo, receber a Palavra de Deus, e obter ordens de marcha para a semana seguinte. Mario Vega, o pastor principal da Elim, escreve:

Nós só mantemos estatísticas para o que acontece em encontros celulares e não mantemos o controle de quantos participam dos cultos de celebração. Para os membros de Elim, as células são a igreja. A celebração é feita para celebrar juntos e desfrutar a unidade do corpo de Cristo.

A Elim considera as reuniões celulares como o principal local de ministério, sem negligenciar a importância de reunir os grupos domésticos para ouvir a Palavra de Deus e adorar o Criador.

A pregação concentra-se em expor a Palavra inerrante de Deus para garantir que os líderes e os membros estejam bem fundamentados na verdade bíblica. Então o ensino e a pregação são reforçados no ambiente da igreja doméstica através de palavras que se correlacionam com a pregação. Para muitos, isso irá revelar-se como uma mudança radical. Alguns podem até pensar nisso como uma diminuição do valor dos grandes cultos da igreja. Eu na verdade argumento que esta abordagem eleva o culto de celebração conforme as pessoas vão participando não como espectadores e consumidores espirituais, mas como adoradores e participantes.

Isto tem implicações práticas sobre áreas como anúncios e lançamento da visão. Anúncios devem se concentrar em como a sua igreja está alcançando as pessoas através dos grupos de células e para dar aos membros uma visão sobre o que a igreja está fazendo para alcançar novas áreas por meio do ministério de casa em casa. O lançamento da visão nestas reuniões de celebração deve ser orientado em torno de células existentes e tentando descobrir novos grupos. Se houver visitantes nos grandes encontros, tente conectá-los a membros de célula que irão recebê-los em uma nova família.

Autor: Pr Andre LDA

Bacharel em Teologia pela Faculdade Evangélica do Brasil - ISBL, estudou também na Faculdade Teológica Sul Americana, convalidando o curso na Unicesumar. Especialista em docência no ensino superior pela Unicesumar e Liderança, Plantação e Revitalização de Igrejas pelo Seminário Teológico Asbury. Atualmente é graduando em licenciatura em história pela Unicesumar. Tenho uma grande e honrosa missão, Ganhar, Cuidar e Encorajar as pessoas a terem um relacionamento com Jesus, é nisso que gasto minha vida, eu e toda minha família estamos envolvidos nesta nobre tarefa. Soli Deo Gloria

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: