Plantação Orgânica de Igrejas

Plantação Orgânica de Igrejas

Por Les Brickman, missionário no Quênia, www.strategiccell.com

Eu conheci Jonas em 2001, em Abdijan. Sua história foi tremenda para mim, até que eu descobri que ela era comum em sua igreja (EPBOM). Para você ter uma ideia, Jonas era um membro de célula que veio a plantar uma igreja em células.

Contudo, quão tremendo não seria, se cada célula tivesse o desejo de crescer e se multiplicar em uma igreja local? Lá onde o Jonas foi formado, quando uma célula multiplicava várias vezes e alcançava 50 pessoas, ela se tornava uma igreja associada. Quando ela alcançava 150 adultos, ela era considerada uma igreja local. Cada célula era considerada uma igreja embrionária contendo o DNA do corpo de Cristo.

E não é tão tremendo, de verdade, observar que o objetivo declarado da igreja dele é “fazer, em todo o mundo, discípulos capazes de formar igrejas em células (ênfase minha) para destruir as obras do diabo e reconquistar a humanidade para Jesus Cristo”? Você percebe que Jonas era, de muitas maneiras, simplesmente um produto do sistema.

Quando eu conheci Jonas ele era um diplomata de carreira do governo da Costa do Marfim, servindo como conselheiro sênior da Embaixada daquele país na Dinamarca.

Jonas começou sua carreira como membro de célula. Com o tempo, Jonas ofereceu sua casa para a igreja como um lugar permanente para a célula se reunir. Um dia o Espírito Santo pediu a Jonas para abrir um culto de oração em seu escritório de trabalho, e usar o seu escritório para uma nova célula. Ele não tinha a menor ideia de como começar. Então ele foi conversar com o pastor Dion Robert. Ele pediu ao pastor Dion para mandar um pastor para liderar aquela reunião. O pastor respondeu que ele, Jonas, era o pastor. Jonas recebeu treinamento como pastor de uma igreja no lar. Ele continuou a célula na sua casa e permaneceu como membro. Todo domingo ele era um membro participante de uma célula. Terça-feira, no seu escritório, ele era o pastor de uma célula. Seu treinamento continuou até que ele foi designado para a Dinamarca em 1994.

Ele se lembra: “Quando eu parti, eu era como um pastor que estava saindo de Abdijan para a Dinamarca. Eu me sentia como um homem de Deus que estava sendo enviado em uma missão, não apenas a missão governamental, mas como um homem de Deus que estava indo para alcançar o povo dinamarquês”. Uma vez na Dinamarca, Jonas começou a orar pelas manhãs e ao meio dia. O sábado ele passava ministrando com sua esposa e filhos. Logo, todas as pessoas no seu escritório da embaixada estavam chamando-o de “pastor”, até mesmo seu chefe. Não demorou e seu chefe, o embaixador, um general do exercito, se converteu a Cristo.

A célula que ele plantou em Copenhague cresceu, multiplicou e experimentou um derramar do Espírito Santo, colocando-a em chamas.

Eu fico me perguntando quantas outras igrejas em células o Jonas plantou na última década, como um diplomata de carreira.

Imagine o que aconteceria se as células se vissem de maneira “diferente”? E se os membros comuns de células fossem desafiados a se tornar líderes como Jonas? E se eles se tornassem “discípulos capazes de formar igrejas em células”?

Como missões e a evangelização mundial seriam impactadas?

Autor: Pr Andre LDA

Bacharel em Teologia pela Faculdade Evangélica do Brasil - ISBL, estudou também na Faculdade Teológica Sul Americana, convalidando o curso na Unicesumar. Especialista em docência no ensino superior pela Unicesumar e Liderança, Plantação e Revitalização de Igrejas pelo Seminário Teológico Asbury. Atualmente é graduando em licenciatura em história pela Unicesumar. Tenho uma grande e honrosa missão, Ganhar, Cuidar e Encorajar as pessoas a terem um relacionamento com Jesus, é nisso que gasto minha vida, eu e toda minha família estamos envolvidos nesta nobre tarefa. Soli Deo Gloria

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: