A VISÃO DE UM DISCIPULADO MUITO PROFUNDO

A VISÃO DE UM DISCIPULADO MUITO PROFUNDO

lideres2bde2bcelulas12

Na medida em que o discipulador tem três níveis de discipulado bem definidos, ele tem que se conscientizar de uma coisa: a necessidade de investir muito tempo nos seus discípulos do Nível N.º 1. Para que isto se torne realidade, é importante que ele tenha cuidado de não se exceder no número de discípulos a ponto de não poder dar muita atenção a cada um.

 

A convivência se torna algo muito precioso neste nível de discipulado. Ele deve praticar o “Fator Barnabé”, brincar, orar, comer, fazer visitas e aconselhamento junto com seus discípulos.

 

Os discípulos se tornam parte da Família do discipulador. A casa do discipulador também é deles. O discipulador os considera como filhos. Eles, por sua vez, o consideram como pai. O relacionamento se torna tão precioso que eles se tornam profundamente íntimos – confiando um no outro, e se defendendo mutualmente.

 

Além do discipulado um a um (M.D.A.), é importante que o discipulador se reúna com seus discípulos do Nível N.º 1 também em grupo. Como já foi mencionado nesta apostila, este Grupo de Discipulado é chamado de G.D. (Grupo de Discipulado).

 

Existe uma dinâmica no G.D. que se torna muito complementar no trabalho do discipulador com seus discípulos. Ao ouvir outros discípulos no G.D. “se abrirem” e contarem experiências, o discípulo é grandemente edificado. Às vezes, o discipulador tem algumas verdades, estratégias, ou mesmo avisos, que aplicam a todos os seus discípulos. Essas coisas podem ser relatadas no G.D. e assim, muito tempo é economizado. Desta forma, ele não tem que repetir a mesma coisa em cada reunião do M.D.A. individual.

 

O G.D., então, assim como o M.D.A., se torna indispensável em um discipulado profundo. Relacionamentos sólidos e duradouros são cultivados, e vidas realmente são transformadas. É impressionante como o discipulado funciona para lapidar a personalidade, mudar o caráter e trazer restauração permanente para o discípulo.

 

O ideal, então, é que o discipulador se reuna uma vez por semana no M.D.A. (um a um) com seu discípulo, e uma vez por semana no G.D. (com todos os seus discípulos juntos). O G.D., o M.D.A., e a convivência de “Família” são fatores que ajudam tremendamente para quem estiver interessado em cultivar um discipulado profundo.

Acesse também: 3 Níveis de Discipulado

Conheça: Líderes de Células – Aprimorando minha Liderança