O Verdadeiro Significado da Igreja

O Verdadeiro Significado da Igreja

por Ralph Neighbour

Quando um cristão ouve a palavra “igreja” a imagem que vem imediatamente à mente ou é de um prédio ou de um salão grande em uma estrutura religiosa com uma plataforma e um pregador. Exemplo: as pessoas dizem “Você vai à igreja hoje?”. Esse é um típico uso ilegítimo da palavra. A pergunta refere-se ou à construção ou à reunião pública realizada lá.

“Igreja” não é uma palavra bíblica. Ela vem da palavra alemã kirk, que define um edifício religioso. É um termo bastardo nascido no século IV para definir estruturas religiosas. Adolf Schlatter (1852-1938), teólogo evangélico e professor em Greifswald, Berlim e Tübingen, recusou-se a usar o termo em qualquer um dos seus livros, substituindo a palavra por “comunidade”.

Jesus introduziu a palavra ecclesia em Mateus 16 e depois a usou pela segunda e última vez no capítulo 18. Na primeira referência, Ele descreveu sua missão: derrubar as portas do inferno. Na segunda referência, ele instruiu como uma ecclesia deveria lidar com disputas entre seus membros. Dois membros devem resolver suas questões juntos ou devem convidar uma terceira pessoa de confiança para a negociação. Se isso falhar, a questão deve ser apresentada para a ecclesia, que deveria decidir como o Supremo Tribunal de Justiça. O termo ecclesia refere-se a uma comunidade pequena o suficiente para que exista comunhão profunda entre todos os membros.

É por isso que o Corpo de Cristo deve ser visto “célula” por “célula”. Cada uma é uma comunidade cristã básica onde a intimidade que Jesus descreveu está presente.

Eu não consegui compreender cedo no meu ministério o tamanho da “igreja” que Jesus tinha em mente! Quão grande poderia ser a reunião que Jesus usou em Mateus para se referir à ecclesia? Era obviamente pequena o suficiente para que cada membro pudesse estar intimamente conectado com duas pessoas em conflito.

Eu comecei a ver que os 12 discípulos eram na verdade o tamanho protótipo para a ecclesia de Jesus. Doze é aproximadamente o número de pessoas que podem se relacionar profundamente umas com as outras.
 “Célula” define a “Comunidade Cristã Básica”, a ecclesia, e não a palavra “igreja”.

Jesus ensinou a ecclesia a “amar (ágape) uns aos outros”. Nós somos chamados mais 52 vezes no Novo Testamento a considerarmos como nos conectar “uns aos outros”. A expressão de partes do corpo desmembradas, sentadas em fileiras, é descrita pela palavra “igreja”. A vida autêntica de “uns aos outros” é encontrada na “célula”. A primeira palavra é fria, impessoal. A segunda palavra indica o que Paulo pediu em Filipenses 2:4 “Cada um cuide, não somente dos seus interesses, mas também dos interesses dos outros”.

A descrição bíblica da vida juntos na ecclesia exige uma família íntima de Deus, e não uma assembleia impessoal de Deus. A destruição feita para a ecclesia autêntica pelo uso da palavra “igreja” para descrevê-la é enorme! Vamos juntar-nos a Schlatter e recusar-nos a usá-la!

Autor: Pr Andre LDA

Bacharel em Teologia pela Faculdade Evangélica do Brasil - ISBL, estudou também na Faculdade Teológica Sul Americana, convalidando o curso na Unicesumar. Especialista em docência no ensino superior pela Unicesumar e Liderança, Plantação e Revitalização de Igrejas pelo Seminário Teológico Asbury. Atualmente é graduando em licenciatura em história pela Unicesumar. Tenho uma grande e honrosa missão, Ganhar, Cuidar e Encorajar as pessoas a terem um relacionamento com Jesus, é nisso que gasto minha vida, eu e toda minha família estamos envolvidos nesta nobre tarefa. Soli Deo Gloria

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: