Adoração de Experiência

Adoração de Experiência

Por Rob Campbell, www.cypresscreekchurch.com

Leonard Sweet escreve: “As igrejas nas comunidades pós-modernas serão construídas; não em torno de grandes pregadores, mas em torno de grandes experiências. A pregação deve deixar de ser a ‘apresentação de pontos de vista’ ou ‘representação ou argumentos’ que podem ser verbalizados; ao contrário, ela deve tornar-se um vento impetuoso que sopra através da congregação e faz brilhar com uma incandescência que não pode ser ignorada”.

“Na verdade, para o culto no século 21”, escreve Bill Easum e Thomas Bandy, “Se você pode dizer tudo com palavras, você perdeu o ponto! Nós vivemos em uma economia da experiência e agora você pode tornar a adoração chata, sem vida e banal”.

“No curso da minha vida”, escreve B. Joseph Pine, “O mundo mudou de uma economia industrial para uma economia de serviços e então para uma economia da experiência”. John Naisbitt, que desenvolveu o termo “economia da experiência”, explica:

A atividade econômica começa com matérias brutas que são transformadas em produtos, que são então envoltos em serviços e, eventualmente, se transformam em experiências. Cada nível aumenta o valor total para o cliente e, portanto, o preço total… uma xícara de café requer cerca de um centavo de café em grão (matéria bruta) e em torno de cinco centavos de café moído (um produto embalado). Se você comprar uma xícara de café em uma lanchonete, porém, você vai pagar cerca de 50 centavos pelo serviço e, em um restaurante fino, cerca de 2,00 a 3,00 dólares pela experiência.

No contexto da economia da experiência, Pine e Gilmore exibem a seguinte fórmula: Cliente surpresa = O que um cliente recebe por perceber. Ou seja, o que o cliente espera receber. Ao invés de simplesmente atender às expectativas ou de estabelecer novas, as empresas deliberadamente tentam transcender as expectativas, para sair inteiramente em novas direções. Simplificando, é quando uma empresa propositadamente apresenta o inesperado.

Como pastor, eu serei o primeiro a admitir que isso exige trabalho à medida que consideramos as nuances de uma oportunidade de culto de adoração de experiência. O objetivo não é ser original, mas se adaptar em parceria com Deus para ter experiências de vida transformadoras.

Autor: Pr Andre LDA

Bacharel em Teologia pela Faculdade Evangélica do Brasil - ISBL, estudou também na Faculdade Teológica Sul Americana, convalidando o curso na Unicesumar. Especialista em docência no ensino superior pela Unicesumar e Liderança, Plantação e Revitalização de Igrejas pelo Seminário Teológico Asbury. Atualmente é graduando em licenciatura em história pela Unicesumar. Tenho uma grande e honrosa missão, Ganhar, Cuidar e Encorajar as pessoas a terem um relacionamento com Jesus, é nisso que gasto minha vida, eu e toda minha família estamos envolvidos nesta nobre tarefa. Soli Deo Gloria

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: