A Célula Como A Igreja

A Célula Como A Igreja

Eu cometi muitos erros no ministério celular. Um deles era a minha crença inicial de que a célula era simplesmente uma ferramenta da igreja de domingo, uma forma de fazer com que as pessoas viessem e ficassem no culto de celebração. Eu acreditava que a verdadeira igreja era o evento de reunião do grande grupo que normalmente acontecia aos domingos. Naquele tempo, as células eram somente um meio para um fim, uma forma de fazer com que a igreja de domingo de manhã crescesse. Na verdade, eu me lembro de reagir àqueles que falavam sobre a célula como a igreja. “Eles não estão esquecendo da celebração de domingo?”, eu pensava. Mas eu continuei ouvindo a frase “a célula é a igreja”.

Minha visão claramente mudou, e agora eu posso dizer com ousadia: a célula é a Igreja. Então por que as pessoas do movimento da igreja em células sempre ensinaram isso?

Primeiro, porque é bíblico. Os escritores do Novo Testamento usam a palavra ecclesia quando se referem à Igreja de Cristo– seja uma igreja local ou a Igreja universal. Paulo usou a palavra ecclesia para se referir à igreja nas casas (por exemplo: Romanos 16, Filemón 2). De fato, Paulo normalmente usava ecclesia para se referir à igreja doméstica. Paulo não indica que existe alguma diferença fundamental entre a pequena igreja doméstica e toda a Igreja de Deus. Deus está igualmente presente em Sua plenitude em ambos os cenários.

Segundo, entender que a célula é a igreja dá novo significado ao culto maior. Idealmente, o culto de celebração deveria ser a compilação das igrejas nos lares reunindo-se juntas. Essa realidade deve impulsionar o pastor principal a aproveitar para incentivar os pastores a fazerem a obra do ministério e pastorearem o rebanho, como o conselho de Jetro a Moisés (Êxodo 18). O culto maior é um período de renovo, adoração e preparação para o ministério durante a semana. Paulo também usa ecclesia para se referir à igreja reunida, a totalidade das igrejas domésticas reunidas. É por isso que no movimento da igreja em células sempre se falou sobre a igreja de duas asas.

Terceiro, visualizar a célula como a igreja realça o papel do líder de célula. Quando se vê o pequeno grupo como sendo menos importante do que a igreja, o papel do líder é diminuído. Na igreja primitiva aqueles que assumiam os papeis de bispo, pastor e ancião eram líderes da igreja nas casas ou supervisores da igreja em várias casas. Enquanto eu prefiro usar a palavra “facilitador” para descrever como o líder empodera outros durante o momento da palavra na célula, o termo facilitador não faz justiça ao papel de liderança de um líder de célula ou da equipe de liderança. Na realidade, o líder de célula é o pastor do grupo.

Em quarto lugar, uma visão elevada da célula gera implantação de igrejas e missões. Paulo implantou igrejas nos lares por toda a civilização romana, desenvolveu liderança a partir de seus convertidos e depois foi um mentor para os novos líderes à medida que o Cristianismo continuava a se espalhar (Atos 15:36, 41). Se uma pessoa pode liderar uma célula, multiplicá-la e depois treinar o novo líder, ele ou ela estará preparado(a) para o chamado de Deus de fazer a mesma coisa na implantação de uma igreja ou até mesmo como um missionário em alguma parte do mundo.

No mês de Janeiro, nós vamos explorar a temática da célula como a igreja. Pastores de igrejas em células e líderes irão escrever sobre esse importante tema durante o mês de janeiro. Se você gostaria de receber esses blogs na caixa de entrada de seu e-mail todos os dias, por favor, inscreva-se AQUI. Aqui estão alguns tópicos que vamos abordar:

  • Semana 1 (10 a 16 de janeiro). A base bíblica para a célula como a igreja (ecclesia é usado para a igreja no lar). Nós vamos discutir por quê a célula é a igreja e por quê é difícil para as igrejas tradicionais compreenderem isso.
  • Semana 2 (17 a 23 de janeiro). A igreja de duas asas (ecclesia também é usado para o culto de celebração). Ver o culto de celebração como a reunião das igrejas domésticas proporciona nova visão e propósito para o pastor principal ensinar, treinar e lançar a visão. Tradicionalmente, a Igreja ocidental têm visto a celebração de domingo como a igreja e todos os outros ministérios como extensões do culto de celebração.
  • Semana 3 (24 a 30 de janeiro). O líder de célula como pastor. Os termos pastor, bispo e ancião eram usados na igreja primitiva para fazer referência às pessoas que lideravam igrejas nas casas e responsáveis por várias igrejas domésticas. Enquanto eu gosto da ideia por trás do facilitador porque ela se refere ao empoderamento dos membros, na realidade, o líder de célula é o pastor da igreja.
  • Semana 4 (31 de janeiro a 06 de fevereiro). Missões e implantação de igrejas. Quanto mais vemos a célula como a igreja, mais podemos encorajar os implantadores de igrejas e missionários. Por quê? Porque se uma pessoa pode liderar uma célula, multiplicá-la e depois treinar o novo líder, ele ou ela estará preparado(a) para o chamado de Deus de fazer a mesma coisa na implantação de uma igreja ou até mesmo como um missionário em alguma parte do mundo

Você vê a célula como a igreja? Por que ou por que não? Por favor, sinta-se livre para comentar aqui.

Joel Comiskey

Autor: Pr Andre LDA

Bacharel em Teologia pela Faculdade Evangélica do Brasil - ISBL, estudou também na Faculdade Teológica Sul Americana, convalidando o curso na Unicesumar. Especialista em docência no ensino superior pela Unicesumar e Liderança, Plantação e Revitalização de Igrejas pelo Seminário Teológico Asbury. Atualmente é graduando em licenciatura em história pela Unicesumar. Tenho uma grande e honrosa missão, Ganhar, Cuidar e Encorajar as pessoas a terem um relacionamento com Jesus, é nisso que gasto minha vida, eu e toda minha família estamos envolvidos nesta nobre tarefa. Soli Deo Gloria

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: