CONSTRUINDO UM CASAMENTO FELIZ

REFLEXÃO: O que mantém um casal unido

Um famoso professor se encontrou com um grupo de jovens que falavam contra o casamento. Os rapazes argumentavam que o que mantém um casal é o romantismo e que é preferível acabar com a relação quando este se apaga, em vez, de se submeter à triste monotonia do casamento. O mestre disse que lhes respeitava a opinião, mas lhe contou o seguinte: “Meus pais viveram 55 anos de casados. Uma manhã, minha mãe descia as escadas para preparar o café da manhã para meu pai, quando sofreu um infarto e caiu. Meu pai correu até ela, levantou-a como pôde e, quase se arrastando, levou-a até a caminhonete. Sem respeitar o trânsito, dirigiu a toda velocidade até o hospital. Quando chegou, infelizmente, ela já havia falecido”.

“Durante o enterro, meu pai não falou, ficava olhando para o nada. Quase não chorou. Meus irmãos e eu nos reunimos com ele. No ambiente de dor e nostalgia, recordamos momentos engraçados. De repente, ele pediu: “Levem-me ao cemitério.”

– Mas, pai – respondemos –, são onze da noite! — Não podemos ir ao cemitério agora!

Aí, ele ergueu a voz, e com o olhar vidrado, disse:

– Por favor, não discutam com um homem que acaba de perder aquela que foi sua esposa por 55 anos.

Houve um momento de respeitoso silêncio. Não discutimos mais. Fomos ao cemitério, pedimos permissão ao zelador, com uma lanterna encontramos a lápide. Meu pai a acariciou, chorou e disse aos filhos, comovido:

– Foram 55 bons anos, sabem? Ninguém pode falar do amor verdadeiro se não se tem ideia do que é compartilhar a vida com uma mulher assim. – Fez uma pausa e enxugou as lágrimas. – Ela e eu estivemos juntos naquela crise… Mudei de emprego, recompramos toda a mobília quando vendemos a casa e mudamos de cidade. Compartilhamos a alegria de ver nossos filhos terminarem suas carreiras, choramos um ao lado do outro quando entes queridos partiram, oramos juntos na sala de espera de alguns hospitais, nos apoiamos na hora da dor, nos abraçamos em cada Natal, e perdoamos nossos erros… Filhos, agora ela se foi e estou contente, sabem por quê? Porque ela se foi antes de mim, não teve que viver a agonia e a dor de me enterrar, de ficar só, depois da minha partida. Serei eu quem vai passar por isso, e agradeço a Deus por isso. Eu a amo tanto que não gostaria que sofresse assim…

Quando meu pai terminou de falar, meus irmãos e eu estávamos com os rostos cobertos de lágrimas. Nós o abraçamos e agora ele nos consolava:

– Está tudo bem, meus filhos; podemos ir para casa. Este foi um bom dia.

“Naquela noite, entendi o que é o verdadeiro amor. Bastante além do romantismo, sem muito a ver com erotismo, mas bem se vincula ao trabalho e ao cuidado a que se professam duas pessoas realmente comprometidas uma com a outra”.

Quando o mestre terminou de falar, os jovens universitários não puderam argumentar. Esse tipo de amor era algo que não conheciam.

TEXTO: Provérbios 24.7

Termine primeiro o seu trabalho a céu aberto; deixe pronta a sua lavoura. Depois constitua família.

RESUMO DA MENSAGEM

A pastora abriu sua mensagem dizendo, em uma de suas primeiras frases, que o casamento é formado por duas pessoas que são diferentes, mas que agora vão formam uma família. Por isso é necessário primeiro terminar primeiro o trabalho a céu aberto, que tem a ver com a construção da nossa identidade, autoestima, produtividade e formação. Também é preciso deixar pronta a sua lavoura, que seria concluir sua formação e começar a trabalhar, começar uma empresa, liderar, produzir para Deus. Depois constitua família, como uma pessoa madura. O matrimônio foi criado por Deus antes de o pecado entrar no mundo, pois Ele queria que este fosse parte da mais profunda, mais rica, e mais alegre experiência da vida humana na terra. Sim, pois o casamento é uma dupla aliança, primeiro uma aliança dos cônjuges entre si, e depois uma aliança dos cônjuges com Deus. Como resultados desta aliança os dois se tornam uma só carne, pois a aliança matrimonial traz consigo uma poderosa força de ligação. Como resultados desta aliança os dois dão morte à vida egoísta e independente, pois ninguém deve casar para ser feliz, mas para fazer seu cônjuge feliz. Como resultados desta aliança os dois desenvolvem uma boa comunicação, com transparência e reciprocidade total, exercitando falar com amor, palavras agradáveis, evitando a insensatez e dando sempre resposta branda, bem como exercem uma dependência completado Espírito Santo.

EM DISCUSSÃO 

  1. Releia o texto de Provérbios 24.7, e responda: como os três conselhos apresentados as ali servem para ajudar a construir um casamento feliz e abençoado?
  • Ensinando a terminar o trabalho a céu aberto, que é a construção da nossa identidade, autoestima, produtividade e formação;
  • Aprontando a nossa lavoura, que é concluir a formação e começar a trabalhar, liderar, produzir para Deus;
  • Depois constituir família, como uma pessoa madura e responsável, de acordo com os princípios da Palavra.

 

  1. A pregadora disse que o matrimônio é uma aliança dupla: primeiro entre os cônjuges e depois entre os dois cônjuges e Deus. O que isso quer dizer na prática conjugal do dia a dia?

Repostas variadas e pessoais.

  1. De acordo com a mensagem, quais são alguns dos resultados da aliança (que é o casamento) feita entre cônjuge e cônjuge e entre os cônjuges e Deus?
  • Os dois se tornam uma só carne, pois a aliança matrimonial traz consigo uma poderosa força de ligação;
  • Os dois dão morte à vida egoísta e independente, pois ninguém deve casar para ser feliz, mas para fazer seu cônjuge feliz;
  • Os dois desenvolvem uma boa comunicação, falam com amor, palavras agradáveis, evitam a insensatez e dão resposta branda;
  • Os dois exercem uma dependência completa do Espírito Santo.
  1. O que mais Deus falou ao seu coração através dessa mensagem?

Respostas variadas e pessoais.

Ministrada na Igreja da Paz Ceará pela Pastora Álbea Oliveira em 08 de novembro de 2015 –

Série: Família, um presente de Deus

Autor: Pr Andre LDA

Bacharel em Teologia pela Faculdade Evangélica do Brasil - ISBL, estudou também na Faculdade Teológica Sul Americana, convalidando o curso na Unicesumar. Especialista em docência no ensino superior pela Unicesumar e Liderança, Plantação e Revitalização de Igrejas pelo Seminário Teológico Asbury. Atualmente é graduando em licenciatura em história pela Unicesumar. Tenho uma grande e honrosa missão, Ganhar, Cuidar e Encorajar as pessoas a terem um relacionamento com Jesus, é nisso que gasto minha vida, eu e toda minha família estamos envolvidos nesta nobre tarefa. Soli Deo Gloria

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: