Conectando as Pessoas do Culto de Celebração com a Célula (parte 1)

Conectando as Pessoas do Culto de Celebração com a Célula (parte 1)

dd31c-liderar

por Joel Comiskey

Às vezes os pastores falham. Eu ouvi sobre uma igreja nos Estados Unidos cujo pastor cometeu adultério. A igreja ficou devastada. Um grande número de pessoas saiu da igreja e muitas ficaram profundamente magoadas e ofendidas. O pastor associado me disse que ele observou um fenômeno interessante. Aqueles que permaneceram e resistiram à tempestade eram os que participavam fielmente de um grupo celular. Por quê? Porque aqueles que estavam envolvidos com um grupo celular caseiro já eram pastoreados, alimentados e ministrados. Eles tinham uma comunidade de crentes com quem eles compartilhavam a vida, e eles não dependiam do pastor principal para pastoreá-los pessoalmente.

Vamos encarar a realidade, ficar vagando e conversando com as pessoas depois do sermão simplesmente não fornece a comunhão profunda sobre a qual o NT fala (koinonia). Ir a um jogo de beisebol com um grande grupo da igreja também não. A realidade é que aqueles que comparecem somente ao culto de celebração estão experimentando apenas metade da igreja. Eu também notei que as “pessoas só de domingo” são normalmente as que pulam para outra igreja quando não concordam com a pregação do pastor, com o tipo de culto de adoração ou a falta de um programa favorito.

Assim, um objetivo-chave na igreja em células é certificar-se de que os participantes do encontro maior também estejam intimamente envolvidos em um grupo de células. Então o que podemos fazer para conectar essas pessoas com a célula? Nós conversamos na semana passada sobre como o envolvimento pessoal e a paixão do pastor principal são fundamentais para conseguir que outras pessoas se envolvam. O pastor também precisa ensinar continuamente a base bíblica para o ministério celular, de modo que as pessoas saibam “por que” elas devem estar envolvidas em uma célula. Nós também mencionamos na semana passada que a participação celular é fundamental entre os principais líderes da igreja (por exemplo, os anciãos, a equipe, aqueles no ministério, etc.). Então, o que mais pode ser feito?

A frase que me vem à mente é “criar um desejo.” Uma das melhores maneiras de criar um desejo é através de testemunhos de células no domingo. Eu me lembro de quando Rachel deu um testemunho na manhã de domingo sobre como ela tinha encontrado a verdadeira amizade através de seu grupo e como ela estava crescendo espiritualmente pela primeira vez em sua vida cristã. Sua paixão lembrou as pessoas que não pertenciam a uma célula de participarem de um grupo.

Eu sempre incentivo as igrejas a comprarem um grande mapa da cidade, colocá-lo em um encosto feito profissionalmente e, depois, identificar os grupos celulares da igreja no mapa. Coloque o mapa em um lugar de destaque na igreja para que as pessoas possam ver onde as células se encontram e sejam lembradas da vida celular. Pergunte a uma pessoa apaixonada de uma célula para ficar perto do mapa, responder perguntas e dar orientações para os interessados em participar de uma célula. Existem outras estratégias que nós vamos explorar no blog da próxima semana.

Joel

Autor: Pr Andre LDA

Bacharel em Teologia pela Faculdade Evangélica do Brasil - ISBL, estudou também na Faculdade Teológica Sul Americana, convalidando o curso na Unicesumar. Especialista em docência no ensino superior pela Unicesumar e Liderança, Plantação e Revitalização de Igrejas pelo Seminário Teológico Asbury. Atualmente é graduando em licenciatura em história pela Unicesumar. Tenho uma grande e honrosa missão, Ganhar, Cuidar e Encorajar as pessoas a terem um relacionamento com Jesus, é nisso que gasto minha vida, eu e toda minha família estamos envolvidos nesta nobre tarefa. Soli Deo Gloria

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: