Uma mensagem aos comunistas

Ao sentir o mundo ao meu redor….

É como começa essa linda canção, que com um tom profético acalenta o coração em relação a guerra ideológica que estamos vivendo.

David Koyzis em seu livro “Visões e Ilusões Políticas” fala sobre Cosmovisão e Ilusão: Enquanto a Cosmovisão é uma visão pré-teórica arraigada numa espécie de compromisso religioso que cada ser humano tem, a ilusão (ideologia) é uma falsa interpretação do mundo, ainda que essa falsidade não seja evidente.

David Koyzis continua:

A cosmovisão é uma visão pré-teórica, arraigada em um compromisso religioso básico à qual interage com a experiência ordinária da vida e é moldada por ela.

Uma ilusão (ideologia) nos dá uma falsa interpretação do mundo. Toda visão está sujeita a distorção, e damos o nome de “ilusões” às visões distorcidas.

É o que João Alexandre responde através dessa canção.

O “real” só será encontrado através de Cristo. Essas ideologias são fruto de um coração traumatizado embebedado por idéias descompromissadas com a vida comunitária de bem, criando uma caricatura de uma pseudo solução messiânica, entretanto, não passam de lobos devoradores tentando dominar as pessoas com o intuito de legislar em causa própria.

Para os Marxistas e afins fica a reflexão, enquanto tentam persuadir ou travarem uma guerra por meio das idéias o Reino que estão tentando destruir é inabalável.

“Pois, embora vivamos como homens, não lutamos segundo os padrões humanos. As armas com as quais lutamos não são humanas; ao contrário, são poderosas em Deus para destruir fortaleza. Destruímos argumentos e toda pretensão que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levamos cativo todo pensamento, para torná-lo obediente a Cristo”. (2 Coríntios 10:3-5)

O cristão e a política

Em suma, Estado laico é Estado neutro.

As igrejas não podem substituir o Estado, mas possuem o indiscutível direito de expressar sua opinião em qualquer que seja o assunto, assim como o têm todas as outras organizações. A participação de religiosos na exposição de suas ideias sobre assuntos polêmicos não representa intromissão da igreja nas questões de Estado, mas se traduz em cooperação na formulação de políticas que produzirão efeitos sobre todos os membros da sociedade. Estado laico significa que o ordenamento jurídico de um país não pode se vincular a nenhum credo religioso, mas não significa que as diversas filosofias não possam se expressar sobre os assuntos postos à discussão na comunidade nacional. Ao contrário, justamente porque o Estado é laico, sem determinada religião oficial, as várias posições filosóficas, espirituais ou não, religiosas ou agnósticas, podem e devem ser consideradas, sob pena de ferimento aos princípios cardeais de nossa Constituição Federal que, no seu Preâmbulo, institui o Estado democrático brasileiro destinado a assegurar, entre outros, os valores de uma sociedade pluralista, fundada na harmonia social.

O Cristão e a política

O papel do Cristão se resume apenas a Esfera da Espiritualidade?

Não há um único centímetro quadrado, em todos os domínios de nossa existência, sobre o qual Cristo, que é soberano sobre tudo, não clame: ‘É meu!’” (Abraham Kuyper)

Quem foi Abraham Kuyper?

Foi um teólogo reformado, ministro ordenado da Igreja Reformada Holandesa, fundador da Universidade Livre de Amsterdam, fundou um partido político, tornou-se Primeiro Ministro da Holanda. Para o teólogo holandês, o calvinismo é muito mais que uma tradição confessional ou eclesiástica; na realidade é uma cosmovisão, uma compreensão da vida e do mundo, um sistema de pensamento e de vida. A tese da soberania divina sobre as “esferas” da vida, quer dizer que cada uma delas – a família, a economia, a política, a vida universitária, etc. – tem o seu próprio âmbito, objetivos e identidade e que devem respeitar-se mutuamente, pois estão fixadas por Deus, desde o princípio.

Para exemplificar – Tende-se a pensar que a Direita é mais centrada no indivíduo, ou seja, todas as esferas orbitam ao redor do indivíduo, já a Esquerda tende a entender o Estado como regulador de toda a sociedade. Já a visão reformada da sociedade não se centraliza nem no indivíduo e nem no Estado mas na soberania das esferas, nas quais as diferentes instituições funcionam debaixo da Soberania de Deus.

Não há um único centímetro quadrado, em todos os domínios de nossa existência, sobre o qual Cristo, que é soberano sobre tudo, não clame: ‘É meu!’ (Abraham Kuyper) Essa é outra forma de dizer que Cristo não é apenas Senhor de nossas almas mas Senhor de nosso corpo, Senhor de nossa família, Senhor do nosso trabalho, lazer e educação. Ele é o Senhor da ciência e da arte, da dança e dos dons, do comer e do beber. Não há um cantinho sequer da criação que esteja imune a seu senhorio, não há esfera ‘secular’ da vida que seja neutra em relação à soberania do Criador. O calvinismo, então, é sobre o reconhecimento do Senhorio de Cristo sobre ‘todas as cosias’ (Colossenses 1.15-20). O Deus do calvinismo não gastou parte da eternidade antes da criação inventando regras sobre o destino das almas. O Deus Triuno teve desejos para sua criação, desejos para seu florescimento, não apenas em sua ‘religião’, mas em seu trabalho, família e diversão.

(James K. A. Smith, “Cartas a um Jovem Calvinista”)

Ou seja:

  1. A soberania última pertence somente a Deus;
  2. Toda soberania terrena é subsidiária a soberania de Deus;
  3. Não há nenhum foco último de soberania NESTE mundo do qual todas as demais soberanias sejam derivadas.

A soberania pela ótica da Direita (Indivíduo), Esquerda (Estado) e da Cosmovisão Bíblica (Deus).

Os males: A Igreja usava as instituições do Estado para impor a sua disciplina e o Estado sentia-se livre para interferir em vários aspectos da vida da Igreja e da esfera religiosa. Hoje entendemos a separação entre IGREJA e ESTADO, todavia, corremos o perigo de achar que a esfera religiosa nada tem a ver com a vida política e social.

O que a Bíblia nos diz?

  • Pv 31:20 “Abre a sua mão ao pobre e estende as suas mãos ao necessitado.
  • A Igreja Primitiva At 2:45 “...distribuíam a cada um conforme a sua necessidade“: havia um olhar para as necessidades da comunidade;
  • A escolha dos diáconos para “servir às mesas” (Atos 6:1-4): havia uma necessidade de ajudar os mais necessitados.
  • Gl 2:10 “Recomendando-nos somente que nos lembrássemos dos pobres, o que também procurei fazer com diligência. “: o Apóstolo Paulo é autorizado a pregar aos Gentios sem se esquecer da vertente social do ministério.

Corpo pastoral da Igreja Central de Londrina

Assista a “Estudo – “Fé e Política em Diálogo.” – (06/09 a 10/09)” no YouTube

FÉ E POLÍTICA EM DIÁLOGO

Romanos 13:1

Estamos na véspera de uma eleição, e como cristãos devemos lembrar que nosso dever para com Deus é abrangente e que não há uma área da vida que possamos separar da influência da Soberania de Deus. Charles Spurgeon certa vez disse: “Só os tolos acreditam que Política e Religião não se discutem, por isso os ladrões continuam no poder e os falsos profetas continuam a pregar”. Como cristãos, devemos avaliar a política pela Cosmovisão Cristã. É sobre isso que estudaremos.

PERGUNTAS PARA REFLEXÃO:

FÉ CRISTÃ E AS ESFERAS DE INFLUÊNCIA

Um cristão não deve apenas utilizar a Fé como filtro de sua espiritualidade, pelo contrário, a Fé deve avaliar todas as esferas da sociedade. Deus é soberano sobre todas as esferas da vida: família, economia, política e etc. Pensando nisso, compartilhe:

  1. De que forma podemos nos envolver com as questões desse mundo?
  2. Comente: “Você está disposto a avaliar a sua visão política pelo filtro da fé cristã ou criar uma versão particular da fé que suporte a sua visão política?”.   
  • O FILTRO DA FÉ CRISTÃ

Uma vez que vivemos em comunidade as questões politicas são experimentadas em todo tempo. A palavra “política” é derivada do termo grego “politikos”, que fala das pessoas que vivem em uma sociedade organizada. O cristão não tem compromisso com “personagens” políticos e sim com as pautas daqueles que governam. Compartilhe:

Em sua opinião, como podemos despertar e orientar os discípulos de sua célula no envolvimento com as diferentes esferas da sociedade, a fim de promover transformação cultural, ética, social, familiar e até mesmo política?

  • NOSSO VALORES INEGOCIÁVEIS

Cosmovisão é a maneira de ver a vida pela ótica bíblica.

A Cosmovisão Cristã se baseia nos princípios bíblicos e nos remetem a Valores que são inegociáveis. Em sua opinião, quais práticas devemos ter para formar e manter nossa Cosmovisão Cristã?

CONCLUSÃO

Somos chamados para manifestar a vida de Deus por meio de Cristo. Também somos designados para iluminar os que estão em trevas, por meio da cosmovisão cristã, levando-os ao esclarecimento das dúvidas que possuem, pois o deus deste século tem cegado o entendimento de muitos.

Como cristãos, devemos nos posicionar no lugar onde estamos, e ali transformar o ambiente, sejam eles: a escola, a faculdade, a empresa, a família e etc..

Que o Senhor derrame sobre nós da Sabedoria d’Ele!